Categorias
Casa e Decoração

Qual o momento certo de trocar seu travesseiro?

Veja qual a frequência correta para você trocar seus travesseiros.  

Quando foi a última vez que trocou de travesseiro? Se você não lembra, é porque já está na hora de trocar. Você já deve saber da importância do travesseiro para uma boa noite de sono, mas mesmo o melhor travesseiro não dura para sempre. Então, com que frequência você deve trocar o seu? Nós te contamos a seguir.

Os sinais que mostram que está na hora de trocar

Embora não haja uma regra sobre quando trocá-lo, a maioria tende a ter uma vida útil de cerca de dois anos, menor que a de um colchão. É imprescindível trocá-lo quando começarem a aparecer sinais de desgaste. Alguns desses sinais são:

– Manchas amarelas começam a aparecer, apesar da lavagem. Essas manchas podem ser causadas por óleos corporais, umidade (incluindo suor, saliva, cabelo molhado, etc.)

– É mais plano do que o normal e você pode dobrá-lo ao meio. Se ao fazê-lo ele permanecer torto, é hora de dizer adeus e comprar um novo.

Outra maneira de saber se você precisa trocar de travesseiro é ouvir seu corpo:

– É menos confortável e você tem dores de cabeça e no pescoço.

– Os sintomas de alergia, como espirros, congestão, coceira na garganta, coriza, erupções cutâneas ou dificuldade para respirar à noite aparecem.

Um simples travesseiro pode influenciar na sua saúde física e mental, então vale a pena conferir se está na hora de dizer adeus ao seu.

Categorias
Esporte e Lazer

Sinto muito sono depois dos exercícios. É normal?

É muito comum ouvir de quem faz exercícios físicos regulares a frase “Sinto muito sono depois de malhar”. E saiba que o sono pode influenciar na qualidade do exercício físico. Muito mais do que você pensa. Um sono ruim pode impedir que você atinja os resultados que espera de uma atividade, mesmo que você esteja fazendo todo o resto corretamente.

Malhar em uma boa academia, ter uma boa orientação de um profissional de Educação Física, tomar um bom suplemento, alimentar-se bem, estar com boa saúde, pode não adiantar nada se você não tiver uma boa noite de sono.

A explicação disso é mais técnica e envolve glândulas e hormônios, mas vamos tentar simplificar aqui: grande parte da síntese muscular ocorre à noite. A melatonina (hormônio do sono) e o GH (hormônio do crescimento) trabalham enquanto você dorme. O GH ajuda o corpo a agrupar os aminoácidos recebidos pela sua alimentação para formar proteínas, que são os componentes dos músculos.

Ou seja, se você não dorme direito, o desempenho das atividades do dia seguinte fica cada vez mais prejudicado.

Dicas para melhorar o sono

Seguem algumas dicas para melhorar a qualidade do seu sono:

– Evite ficar no celular ou com outros aparelhos luminosos pouco antes de dormir, pois a luminosidade inibe a produção de melatonina;
– Tome bebidas relaxantes como chás de camomila, erva doce e hortelã. Isso sem falar no tradicional suco de maracujá;
– Durma no escuro ou com o mínimo de luminosidade – isso favorece a liberação de melatonina, aquele hormônio do sono;
– Evite fazer atividades que causam mais agitação em você – isso pode elevar o cortisol (hormônio do stress), reduzindo a liberação de GH e melatonina que, como já aprendemos, são importantes para a síntese muscular que ocorre à noite;
– Tenha travesseiro e colchão adequados para você – conforto é essencial para uma boa noite de sono;
– Não durma em jejum ou com sede, mas também não exagere na comida antes de dormir – qualquer falta ou excesso pode causar desconfortos durante à noite;
– Procure dormir no silêncio ou com o mínimo de ruídos – o cérebro continua acordado quando há sons em volta.

Sono e exercício se complementam

O exercício físico e o sono são muito importantes para a saúde e são complementares. O que isso quer dizer? Dormir bem melhora os efeitos do exercício, já que o metabolismo funciona melhor. E fazer atividade física (do jeito e no horário certos) pode melhorar a qualidade do seu sono, já que quem pratica exercícios costuma dormir mais rápido e de forma mais profunda, sem fragmentar o sono.

Categorias
Infantil

Sem choro: como acalmar o bebê

O choro e o riso são as formas de comunicação do bebê que (ainda) não sabe falar. Identificar as causas desse choro, justamente porque o bebê não fala, é um desafio para os pais. Na missão de aprender como acalmar o bebê, os pais podem transformar o choro em tranquilidade e naquele soninho reparador que faz o humor do bebê voltar ao normal. Veja como:

Como acalmar o bebê

Saber a causa do choro é a forma mais eficaz de acalmar o bebê. Basta resolver a causa que a consequência será o silêncio e o sono tranquilo do pequeno. E isso, ao longo do tempo, se torna mais fácil para os pais que começam a entender o choro do bebê relacionado à causa dele. Por exemplo, até os 3 meses de idade, o choro é o recurso do bebê para tudo. A sua única forma de se comunicar. A partir desse período, o pequeno aprende que o sorriso é para demonstrar satisfação e alegria ao passo que o choro serve para reclamar de dores, fralda suja, sono, fome, dentre outros incômodos próprios dessa fase da vida da criança.

Hora de mamar

Apesar de alguns especialistas (e da tradição) indicarem que o bebê deve ser amamentado de 3 em 3 horas, não podemos esquecer que cada bebê é um indivíduo com particularidades como todo ser humano. Logo, mesmo antes das 3 horas protocolares o bebê pode sim chorar por estar com fome. Amamentá-lo pode resolver a questão e proporcionar aconchego e relaxamento, pois o contato com o calor da mãe durante a amamentação traz paz e confiança ao bebê que, saciado, vai dormir melhor.

Uma tendência atual é a “livre demanda”. Segundo os pediatras que defendem essa orientação, a criança deve ser amamentada assim que solicitar, sem a regra de um horário fixo. A manutenção do peso e uma melhor relação com a própria mãe, além de diminuir bastante a questão do endurecimento da mama, são grandes vantagens desse tipo de comportamento.

Fralda suja

Bebês não gostam da sensação de ter xixi e cocô na fralda. Aliás, ninguém gosta, né? Por isso, verificar se o bebê está limpo ou se sujou a fralda são uns dos primeiros gestos a serem feitos. Assim, você já elimina logo a dúvida se essa é a razão do choro. Fralda seca é o que deve prevalecer na rotina do bebê, por isso verificar espontaneamente a situação da fralda pode evitar o choro. E, se o bebê fica por muito tempo com a fralda suja, assaduras certamente vão aparecer.

Sono

Os bebês não sabem simplesmente fechar os olhos quando estão com sono. A sensação de cansaço causa uma irritabilidade ao bebê que, incomodado com a necessidade de dormir, chora para dizer que está cansado e precisa descansar. Se pais e mães estiverem atentos, podem evitar esse tipo de choro. Basta observar o comportamento do bebê e identificar as reações que revelam que o sono chegou: esfregar os olhos, o surgimento de olheiras e o olhar caído são os principais sintomas de que é hora de dormir. Ninar o bebê logo que surgirem os primeiros sinais de sono é uma eficiente forma de saber como acalmar o bebê antes que ele fique estressado e chore.

Gases e intestino preso

Colocar o bebê para arrotar evita que gases se acumulem no estômago e causem cólicas. A prisão de ventre causa dificuldades para o bebê fazer cocô e trazem a famigerada cólica intestinal. Uma massagem com óleo essencial para bebês na barriga, se feita em movimentos circulares no sentido horário e com uma leve pressão, pode fazer os gases serem liberados e a evacuação fará o bebê se livrar das fezes e da cólica. Procure orientação do pediatra para administrar a medicação adequada para essa situação.

Sensação térmica

A sensação de frio ou calor incomoda os bebês que, por não saberem falar, choram para demonstrar a necessidade de serem aquecidos ou de um banho refrescante. Se a causa for calor, logo após o banho, o bebê vai dormir profundamente (alguns dormem ainda durante o banho). Se o frio é a causa do choro, basta envolver o bebê em uma coberta e acalentar por alguns minutos. Pronto. Problema resolvido e bebê dormindo.

Dentes nascendo

Essa é a causa que afeta muitos bebês. Os dentinhos crescendo nessa fase geram dor sim e, em alguns casos, febre. O uso de pomadas anestésicas nas gengivas do bebê pode ser a solução para bebês que choram por causa da dor de dente. Para saber melhor se a causa é essa, passe levemente o dedo sobre as gengivas do bebê, que estarão bem sensíveis, e assim fará com que ele demonstre que ali está doendo. Para sanar todas as dúvidas em relação a dor e a usar pomadas, procure sempre o pediatra do bebê.

Estímulos

Estimular o bebê faz com que ele aprenda uma série de coisas, como piscar os olhos, balbuciar palavras que ainda não conseguimos entender, fazer sim ou não com a cabeça, etc. Todo mundo se derrete quando o bebê responde de maneira correta aos estímulos, porém o excesso desses estímulos pode irritar os bebês e causar um choro de alívio da tensão.

A dica aqui é ter equilíbrio, pois bebês que não recebem nenhum tipo de estímulo também choram justamente para reivindicar essa postura dos pais que devem estimular a criança moderadamente. Assim como estímulo em excesso irrita o bebê que não sabe lidar com a adrenalina e a ansiedade que ela causa.

Se nada disso resolver durante as tentativas de como acalmar o bebê, talvez ele precise de ajuda médica. Por isso, todo cuidado é pouco.