Categorias
Auto e Ferramentas

Estepe: cuidados necessários

Geralmente escondido no seu carro – quando não é guardado na parte externa –,  o estepe é normalmente esquecido até você precisar dele. Mas quando esse momento chegar pode ser tarde demais. O pneu reserva do seu carro precisa de manutenção regular para garantir que possa ser usado quando um dos pneus principais furar ou estourar. Para garantir que o estepe tenha uma manutenção adequada, adicione as dicas a seguir à sua rotina de cuidados com o carro.

Mantenha o estepe calibrado

O ideal é calibrar os pneus do carro a cada 15 dias, e sempre que o fizer, não esqueça do estepe. Calibre na quantidade indicada no manual do veículo. Isso vai compensar a perda de pressão ao longo do tempo e se você for viajar, garante que está com a calibração em dia para suportar a carga do carro.

Pneu mais baixo apenas para emergências

Hoje em dia é normal que o estepe seja menor do que os pneus de uso diário. Importante: estamos falando da largura da banda de rodagem, não do tamanho da roda, que deve ser idêntica às outras rodas. O estepe mais fino é mais barato e mais leve, só que é feito para emergências e não para usar por muito tempo ou em alta velocidade. Use-o apenas para não ficar na mão caso ocorra um imprevisto na estrada, seguindo lentamente até uma posição onde consiga consertar o pneu.

Verifique o desgaste do pneu

Assim como os pneus de uso diário, o estepe não pode estar careca. A lei diz que os sulcos  devem ter profundidade mínima de 1,6 mm, ou você pode ser multado. A maneira mais fácil de evitar isso é não rodar com esse pneu reserva mais do que o necessário, e não incluí-lo na rotação dos pneus principais.

Se trocar a roda, substitua os parafusos

Exceto em alguns carros que vêm com roda de liga leve, o normal é que o estepe tenha uma roda de aço. Se preferir deixá-lo com uma roda como as demais, não esqueça de trocar também os parafusos de acordo com a especificação da nova roda. Se forem diferentes, podem não encaixar da maneira correta, correndo o risco de não segurar bem o estepe com o carro em movimento.

Verifique se o estepe está em boas condições

Um pneu tem um prazo de validade de, em média, cinco anos. A partir daí, a borracha passa a deteriorar devido aos efeitos da umidade, temperatura e pressão, afetando toda a sua estrutura. Ao calibrar o estepe, certifique-se de que não apresenta rachaduras na borracha, o que indica que o pneu está danificado e pode causar acidentes.

Preste mais atenção caso o seu pneu reserva esteja localizado fora do veículo, como em muitos SUVs e versões aventureiras. Mesmo protegido, fica mais exposto, reduzindo sua vida útil em relação a um estepe armazenado no interior do carro.

Categorias
Auto e Ferramentas

Dicas para conservar os pneus do carro

Um pneu bem conservado é uma das partes mais importantes para garantir a segurança e conforto do carro. Além disso, os cuidados mantêm uma boa estabilidade, frenagem e melhoram até o consumo de combustível. Por isso, hoje trouxemos as melhores dicas para você conservar os pneus do seu carro. Confira!

Calibragem frequente 

Uma calibração adequada é ideal para a estabilidade do veículo e faz com que sua durabilidade aumente. O correto é calibrar os pneus a cada 15 dias, e você pode consultar a pressão correta no manual do fabricante. Não esqueça que a pressão deve ser regulada com os pneus frios.

Balanceamento e alinhamento

Os procedimentos de balanceamento e alinhamento devem ser feitos quando os pneus forem substituídos ou quando o rodízio for feito, e também sempre que o motorista notar que o carro está puxando para algum dos lados ou está vibrando.

Dessa forma, todas as rodas são desgastadas igualmente e mantém os pneus conservados por mais tempo.

Rodízio dos pneus

Os pneus se desgastam de forma diferente com o uso do veículo. Por isso, troque os pneus da frente pelos de trás a cada 10 mil quilômetros, ou de acordo com o indicado no manual do fabricante. É um procedimento simples, mas que melhora a estabilidade do carro e sua aderência em pisos molhados.

Evite excesso de carga

A sobrecarga no veículo pode comprometer a estrutura interna dos pneus. Fique atento no peso permitido para carregar no carro e, assim,  garantir a vida útil das suas rodas.

Atenção com estepe

Assim como os pneus em uso, o que fica de estepe também deve ser cuidado com frequência com sua calibragem correta. Afinal, ninguém quer passar por um imprevisto com essa peça, não é? Além disso, as más condições do estepe podem dar multas e pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

Categorias
Auto e Ferramentas

Como escolher pneus para off-road

Então você quer pegar a estrada? Encontrar os melhores pneus off-road pode ser um desafio. Dependendo dos pneus que você tem no seu carro, eles podem ter um grande impacto na qualidade do percurso e no desempenho da trilha. Quer você seja um aventureiro sério ou um desbravador casual, os pneus serão um dos aspectos mais importantes da sua jornada, e existem muitas opções de escolha. Nem todo mundo sabe quais pneus são adequados, por isso, separamos algumas dicas pra você. Veja a seguir.

Passo 1: Conhecer o terreno

Os veículos devem ter pneus diferentes com base no tipo de terreno que vão encarar. É por isso que o primeiro passo para instalar os melhores pneus off-road é saber as suas reais intenções ao dirigir. Pense bem e considere seriamente como e onde você pretende usar seu carro. Isso pode economizar muito tempo e evitar problemas no futuro.

Agora que você já determinou o terreno em que o veículo vai dirigir, pode ir para a próxima etapa.

Passo 2: Determinar o tamanho do pneu

Pneus maiores tendem a ser melhores em qualquer tipo de viagem de aventura, pois o objetivo dos pneus grandes é deixar o veículo mais longe do chão, o que ajuda a evitar danos causados por pedras, galhos, e qualquer outra coisa do tipo que estradas de chão costumam oferecer. Portanto, dê uma boa olhada no tamanho básico do pneu do veículo. As chances são de que você não irá errar se aumentar um pouquinho o tamanho do pneu, mas claro, se o seu carro permitir. Importante: Sob nenhuma circunstância o tamanho dos pneus deve ser reduzido se você for pegar a estrada de terra.

Passo 3: Definir o tipo de pneu

Agora que sabemos para onde você está indo e qual deve ser o tamanho dos pneus, é hora de começar a olhar para a banda de rodagem, que é responsável pela aderência, estabilidade e segurança.

Pneus All Season: todas as estações não são a mesma coisa que todos os tipos de terreno, o que significa que esses pneus raramente são uma boa escolha para direção off-road. São geralmente os pneus que vem de fábrica, e apesar de não serem ideais para condições mais duras, podem ser uma escolha muito boa se o veículo estiver indo sobre terreno ameno. Afinal, eles tendem a ser mais eficientes em termos de combustível do que qualquer outro. Portanto, você não deve descartá-los.

Pneus All Terrain (AT): agora estamos chegando mais perto. Os pneus all-terrain são a seleção regular para o off-road, proporcionando um ótimo equilíbrio entre aderência e desempenho. Funcionam bem em todos os aspectos (70% asfalto e 30% terra) e são uma escolha muito boa para terrenos moderados/mistos.

Pneus Mud Terrain (M/T): feito para uso em lama, barro ou terra. Esqueça a economia de combustível e aumente a potência! Se você vai passar por terreno mais duros e desafiadores, esses são os pneus que você deve escolher, pois são maiores e mais grossos, projetados especificamente para essas condições.

Passo 4: Revisão

Os três passos listados acima são os mais importantes, mas você também deve considerar fazer uma revisão em todo o veículo assim que as peças forem instaladas – especialmente se você instalou pneus para terrenos extremos, que podem balançar e quebrar alguns componentes mais fracos quando você estiver dirigindo. Certifique-se de que o resto do carro pode lidar com os novos pneus, e pé na estrada!  

Categorias
Auto e Ferramentas

Pneu tem validade?

Os pneus são um dos componentes mais importantes do seu carro e, ao mesmo tempo, uma das peças mais ignoradas. Conhecê-los e aprender a identificar o seu estado de desgaste é essencial e pode fazer a diferença em um momento inesperado.

Você certamente já deve ter se perguntado se precisa trocar o pneu mesmo que ele esteja aparentemente em bom estado, ou até mesmo pensado em economizar ao comprar um usado. Saiba que esse é um momento importante, e é preciso analisar bem o pneu para que você continue dirigindo com segurança. Comprar um produto desgastado ou usá-lo por mais tempo do que o recomendado pode ser arriscado.

Como saber se estou usando corretamente?

É difícil determinar uma validade exata para o pneu, pois depende muito do seu uso. Se você usa seu carro apenas aos finais de semana, em estradas asfaltadas e com boas condições, o vencimento será diferente do pneu utilizado por alguém que costuma dirigir diariamente por longos períodos, enfrentando estradas de terra, etc. O tempo de vida desse produto depende muito de sua utilização e conservação.

Portanto, ao contrário do que muitas pessoas pensam, o pneu possui validade sim. Não tem data determinada, mas além de uma, existem duas maneiras de calcular esse vencimento. Te mostramos a seguir.

Data de Fabricação (DOT)

A primeira coisa a verificar é a data em que ele foi fabricado. Você encontra essa informação encontra facilmente no próprio produto. Se chama DOT, uma série de letras e números, sendo que os últimos quatro indicam a data de fabricação. Por exemplo, se os últimos dígitos são 0820, significa que foi produzido na oitava semana de 2020.

Talvez você acredite que um pneu não usado continua impecável, mas não é bem assim. Embora ele permaneça na prateleira da loja ou de uma garagem, sua validade é de 5 ou 6 anos, devido a oxidação natural da borracha. Após esse período, ele pode ficar ressecado e trincado, diminuindo a estabilidade e aderência, o que deixa o carro mais exposto a alguns riscos. Desse modo, ele perde sua validade sendo ou não usado.

As trincas, principalmente em alta velocidade, podem provocar a explosão do pneu. Portanto, se mesmo assim você quiser utilizá-lo por mais tempo, fique atento aos detalhes e examine-o cuidadosamente com frequência para prevenir acidentes.

Tempo e modo de uso

Como citamos acima, os pneus têm uma vida útil de aproximadamente 5 ou 6 anos, porém, pode ser necessário trocá-los bem antes da “data de validade”. Há muitos fatores que podem causar o desgaste dos pneus, como seu estilo de direção, hábitos de manutenção e condições do asfalto. Veja abaixo alguns sinais que indicam que já está na hora de substituí-los.

– TWI: é o indicador de desgaste da banda de rodagem do pneu. O limite para rodar é quando o desgaste chega a 1,6 mm. Nessa condição, já pode ser considerado, pela lei, um pneu careca e é o momento ideal para fazer a troca, evitando acidentes e multas.

– Desgaste acentuado nos dois ombros (nas duas bordas do pneu)

– Desgaste central: ocorre quando o pneu está cheio demais, resultando no desgaste do centro do pneu mais rapidamente do que as bordas.

– Desgaste acentuado em um dos ombros (interno ou externo) devido ao desalinhamento

– Desgaste regular: pneu careca, completamente liso, sem nenhum relevo.

Os pneus lisos aumentam o risco de perda de controle do carro e também podem levar ao alto consumo de combustível. Ter pneus em boas condições não só ajudará a melhorar o desempenho do carro, mas também reduzirá o risco de acidentes. E lembre-se: jamais use seu pneu por mais de 10 anos.

Cuide-se! Se for pegar a estrada para as festas de fim de ano, examine seus pneus para garantir a sua segurança. Se precisar trocá-los, visite o site do Carrefour. Com certeza você vai encontrar o pneu mais adequado para o seu carro.

Categorias
Auto e Ferramentas

Descubra se vale a pena comprar pneu meia vida

Na hora de trocar os pneus, logo pensamos em opções mais econômicas como pneus usados. Afinal, eles custam bem menos que os pneus novos. Mas será que vale a pena o risco? Confira!

Pneu meia vida

Pneu meia vida é um pneu já usado, mas que ainda tem vida útil pela frente. Apesar de manter as especificações e dimensões, podem estar com desempenho e estabilidade comprometidos devido ao fato de serem pneus já usados. 

Mesmo que pneus meia vida apresentem a vantagem do valor mais baixo e consigam rodar mais alguns quilômetros, é importante levar em conta que eles foram descartados por algum motivo, e ninguém descartaria algo em perfeitas condições.

Dicas 

Se optar por um pneu meia vida, fique atento a um detalhe muito importante: como está a espessura da borracha? Se você observar que o pneu está muito desgastado poderá ter problemas em dias de chuva. Além disso, o desgaste dos pneus gera instabilidade do veículo – o que pode causar acidentes.

Verifique também a idade do pneu. A maioria dos governos e associações automotivas recomenda substituir os pneus a cada cinco ou seis anos, independente da quantidade de piso deixada. 

Conclusão

Comprar um pneu meia vida não compensa. Apesar da economia, os riscos são muito grandes. É o famoso “barato que pode sair caro”.  Por isso, nossa recomendação é sempre a escolha por pneus novos. 

No site do Carrefour você sempre encontra ofertas em pneus e demais produtos automotivos. Aproveite!

Categorias
Auto e Ferramentas

Usando pretinho para o pneu ficar com cara de novo

Tem motorista que adora cuidar do carro toda semana, deixando bem limpinho tanto por dentro quanto por fora – e sem esquecer dos pneus bem pretinhos e brilhantes! A aparência de carro novo é tudo de bom! Mas você sabe o segredo de um pneu bem limpo e tinindo de novo? É o tradicional “pretinho para pneu”, ou “pneu pretinho”, como preferir.

O pretinho para pneu é seguro?

Sim! A maioria das marcas utilizam uma fórmula com base de glicerina, o que deixa o pneu mais brilhante, sem deteriorar a borracha ao longo do tempo. Além disso, ele forma um bloqueio antissujeira evitando que poeira e terra se juntem na superfície, conservando-o limpo por mais tempo.

Como aplicar?

A aplicação é bem simples. Há aqueles que podem ser aplicados com uma esponja ou pano seco, enquanto outros são em formato de spray que facilitam bastante na aplicação. O importante é deixar o pneu limpo e seco antes de aplicar, sendo lavado com sabão, água e esponja.

Faça você mesmo seu pretinho para pneu

Quer deixar seu pneu muito mais limpinho e brilhando sem precisar gastar muito? Faça seu pretinho para pneu caseiro! A ideia é muito simples e você pode utilizar sempre. Basta apenas 1 litro de xarope de groselha, 500 ml de álcool comum e 1 colher de sopa de vinagre. Coloque todos os ingredientes em uma garrafa pet, misture e guarde para quando precisar.

Aplique com um pincel quando seu pneu estiver seco e limpo, pois isso fará com que o produto dure mais e capriche nas marcações, passando o pincel lentamente para que não forme bolhas. Ah, e lembre-se de passar somente nas laterais. Ele adere na borracha em 1 semana e essa receita dura até 1 ano. Viu como é fácil?

Categorias
Auto e Ferramentas

Como escolher o melhor pneu para o seu carro

Escolher o melhor pneu para o seu carro é uma tarefa que requer paciência, não é mesmo? É uma decisão importante, principalmente por envolver sua segurança. Portanto, é preciso se atentar a cada detalhe na hora da compra. Estas dicas vão ajudar bastante você a entender melhor o que deve ser levado em conta em sua pesquisa sobre como escolher pneus.

A primeira coisa que você precisa saber é que todo pneu possui uma série que mistura letras e números. Ela é marcada diretamente na borracha. É a partir disso que você vai descobrir as características do pneu ideal para o seu carro. Acredite, é super fácil!

1º número:

É o tamanho, em milímetros, da parte que tem contato direto com o asfalto. É também conhecido como largura da banda de rodagem.

2º número:

Esse número traz a altura, em porcentagem, da parte lateral do pneu. Ou seja, é aquela que não tem contato direto com o asfalto. Ele é conhecido como série.

A Letra “R”

Essa letra significa Radial, que é o termo usado para identificar que o pneu é ideal para uso em carros de passeio.

3º número:

Esse número sempre vem em seguida da letra R e mostra a dimensão da roda em polegadas.

4º número:

Indica a carga máxima que o pneu pode suportar.

Categorias
Auto e Ferramentas

Como trocar pneu do carro em 7 passos

Pode ser que o pneu do carro fure em uma situação onde não há borracharia por perto e, nessa hora, precisamos saber o que fazer. Por isso, separamos 7 passos que vão ajudar você a aprender como trocar pneu de carro sem precisar da ajuda de estranhos.

1º passo: saiba onde parar

Infelizmente você descobriu que o seu pneu está furado e o primeiro passo é parar o carro em um local com acostamento (de preferência) e que não ofereça risco de atropelamento na hora de fazer a troca e, em seguida, posicionar o triângulo sinalizador a pelo menos 10 metros de distância do carro. Essa distância é importante para quem vem atrás porque dá tempo de frear com segurança ao avistar o triângulo.

2º passo: reúna as ferramentas necessárias

Junte todas as ferramentas, como chave de roda (ou de cruz), macaco, estepe e luvas. Se você não sabe onde ficam essas ferramentas e o seu carro é novo, consulte o manual de instruções para saber onde elas ficam e deixe em um lugar fácil para, da próxima vez, ter menos trabalho. Marcas diferentes de carro posicionam o estepe em locais variados. Assim que comprar o seu, descubra onde fica o estepe.

3º passo: como trocar pneu

Tire a calota e desenrosque ligeiramente as porcas, empurrando a chave de roda com os pés usando o peso do seu corpo em vez das mãos. Antes de desenroscar as porcas por completo, coloque o macaco embaixo do carro.

4º passo: levante o carro

Coloque o macaco debaixo do carro, fazendo com que se encaixe na borda próxima ao pneu a ser trocado. Depois de encaixar o macaco, levante o carro até a roda deixar de tocar no chão. Termine de retirar as porcas e guarde todas juntas para que não se percam.

5º passo: faça a troca

Uma vez que o carro está suspenso e as porcas foram retiradas, é hora de fazer a troca dos pneus. Substitua o pneu furado pelo estepe que deve estar em boas condições de uso, ou seja, não pode estar careca, sob o risco de causar acidentes e multa no caso de haver uma blitz em seu caminho.

6º passo: coloque as porcas de volta

Esse momento é importante porque deve haver equilíbrio para evitar que o pneu se solte (e dê mais trabalho) na hora de recolocar as porcas. Para isso, basta enroscar as porcas em forma de “X”, uma vez que são 4 (ou 5), coloque as 2 primeiras em diagonal e as restantes também, formando um “X” (ou estrela). Esse procedimento dá equilíbrio à roda e evita que o pneu caia antes de estar todo “parafusado”.

7º passo: guardar e substituir

Após trocar o pneu, abaixe o macaco para que o carro volte a tocar o chão com as 4 rodas. Desencaixe o macaco, junte com as outras ferramentas e guarde em local adequado e acessível. Coloque o estepe no lugar e providencie a substituição por um pneu novo o quanto antes.

Seguindo esses 7 passos de como trocar pneu, você conseguirá tirar de letra esse imprevisto.

Categorias
Esporte e Lazer

5 maneiras diferentes de como usar um compressor de ar

Não existem dúvidas de que um compressor de ar é um equipamento altamente versátil e que faz muita falta na hora daquele imprevisto. Se você ainda não tem um compressor de ar em sua casa, não perca mais tempo e compre logo o seu. Mostraremos 5 maneiras diferentes de como usar um compressor de ar, para que você nunca mais fique na mão na hora do trabalho ou do lazer.

Como usar um compressor de ar

Encher o pneu do carro ou da bike – quando você se atrasou para alguma ocasião e percebe que o pneu do carro está murcho, é muito irritante. Com o compressor de ar, esse problema estará resolvido, pois ele serve para encher os pneus do carro, deixando-os na calibragem ideal. Andar de bike com os pneus vazios não dá, não é? Nem sempre se tem uma borracharia por perto e o compressor de ar é a solução para essa hora.

Encher bolas – o jogo de futebol com os amigos no fim de semana não vai ser o mesmo se a bola estiver murcha. Com o compressor de ar em mãos, seu problema estará resolvido em pouco tempo e a diversão com a galera será o máximo.

Pintura automotiva – todos sabem que pintura automotiva requer uma certa habilidade do profissional. O compressor de ar também pode ajudar você com essa missão e, se você é pintor de automóveis, essa tarefa será muito mais fácil com o uso do compressor de ar. Vale sempre lembrar que você deve verificar a voltagem do seu compressor antes de comprar para que ele funcione corretamente.

Encher colchões – além de exigir um pulmão e tanto, raramente conseguimos inflar colchões em sua capacidade máxima, em função da resistência do ar. Usando um compressor de ar nessa situação, tudo estará resolvido. Você vai dormir tranquilamente e seus filhos poderão descansar tranquilamente em segurança.

Limpeza de equipamentos – agora que você já sabe como usar um compressor de ar, ele também pode ser útil para limpar equipamentos, superfícies empoeiradas ou pequenos locais com muita rapidez e precisão. Que tal se presentear com um desse?

Categorias
Esporte e Lazer

Furou? Veja como trocar pneu de bicicleta

Nos últimos anos, utilizar a bicicleta como meio de transporte tem sido cada vez mais a opção de muitos brasileiros, por ser mais saudável, poluir menos e ter um custo de manutenção muito inferior à de um automóvel.

Ainda há as campanhas de incentivo e espaços para ciclistas em grandes cidades, como ciclofaixas em principais avenidas e até a permissão de levar a bike nos trens aos fins de semana, ou até alugar uma em determinados bairros ou nas estações de metrô – caso você viva em São Paulo existe essa possibilidade. Porém, se você tem sua própria bicicleta e quer saber mais sobre a manutenção dela, já se perguntou como trocar pneu de bicicleta? Há alguns cuidados a se tomar e sinais para prestar atenção para saber quando o pneu está gasto, por exemplo.

Quando trocar o pneu da bicicleta?

Há alguns tipos de pneu de bike, mas aqueles com os gomos são os mais comuns por fazerem parte dos modelos mais tradicionais de passeio. É preciso verificar a quantidade de vezes em que se usa a bicicleta, porque isso ajuda os pneus a gastarem mais e exige também uma manutenção maior.

Os gomos de um pneu mais novo são sempre salientes, quanto menores eles forem ficando e mais próximos do nível do pneu, mais gasto eles estarão e a troca deverá ser feita logo. É muito importante que se acompanhe esse desnível, porque eles são os responsáveis pela aderência ao solo e à segurança em manobras.

O pneu traseiro costuma gastar mais rápido que o dianteiro, porque é ele que suporta o corpo do ciclista durante os percursos, então muitas vezes é necessário trocar o pneu traseiro antes do dianteiro ou fazer o rodízio entre eles.

E a outra possibilidade de trocar o pneu da bicicleta é quando o pneu rasga ou fura por conta de algum parafuso ou objeto cortante pelo caminho.

E agora, como trocar o pneu da bicicleta?

Após constatar que é realmente necessário fazer a troca do pneu, siga estes passos:

1 – Desenrosque a porca do eixo que está acoplada no quadro. Se o modelo for mais novo, solte a trava que prende o eixo. Na roda traseira, é necessário retirar a corrente também e afrouxar os freios. Retire a roda.

2 – Com a roda retirada, aperte a válvula de ar e retire completamente todo o ar da câmara. Com o auxílio de uma espátula própria, retire a câmara já murcha do aro do pneu, cuidadosamente.

3 – Faça a troca do pneu ou da câmara de ar, procure a seta que indica o sentido correto, que deve estar marcada no aro. Coloque um lado do pneu primeiramente, dê uma folga na câmara de ar e encaixe a válvula no buraco do aro.

4 – Encaixe o pneu e a câmara e com os polegares verifique se está tudo no lugar, sem possíveis saídas de ar. Se necessário, use a espátula novamente para encaixar de forma correta.

5 – Encha com cuidado o pneu, utilizando uma bomba de ar. Posicione a roda com o pneu cheio na bicicleta, feche o eixo com a porca ou encaixe a roda e a trave no sistema da bike.

Esses são alguns passos simples para saber como trocar o pneu da bicicleta. Caso seja sua primeira vez e ainda tenha dúvidas, peça a ajuda de alguém mais experiente ou leve a um especialista para observar. Bom passeio!