Categorias
Esporte e Lazer

Benefícios da natação para todas as idades

A natação é um esporte bastante democrático, podendo ser realizado por pessoas de todas as idades na piscina do condomínio, do clube ou na escola de natação. Aliado à boa saúde, os benefícios da natação são inúmeros. Alguns especialistas, inclusive, dizem que os praticantes de natação terão maior longevidade se fizerem dessa prática um costume. Confira abaixo algumas vantagens e benefícios desse esporte e inclua esse exercício à sua vida. Com certeza você sentirá os benefícios do bem-estar assim que começar a praticá-lo.

Benefícios

A natação proporciona diversos benefícios, dentre eles a melhora da resistência física, o aumento da capacidade circulatória e respiratória, a ampliação dos movimentos articulares, melhora da capacidade de raciocínio e diminuição de sintomas de doenças cerebrais. Além disso, esse esporte contribui para a prevenção, manutenção e até mesmo recuperação dos movimentos, do equilíbrio, da coordenação e da capacidade cardíaca. Quer dizer, um único exercício é capaz de reunir uma série de vantagens e benefícios para você e sua saúde.

Indicações

Para pessoas iniciantes, o ideal é começar a praticar a natação 2 vezes por semana. Essa frequência pode ser aumentada assim que você for se sentindo mais confortável com a prática, podendo chegar a 5 vezes semanais. Com o passar do tempo, o aumento da resistência física será notado. É recomendado que o tempo para cada atividade seja de, no mínimo, 30 minutos e, no máximo, 60 minutos já incluso o tempo de aquecimento.

Resultados

Ao longo das 4 primeiras semanas de esporte, você conseguirá observar os primeiros sinais de ganhos dos benefícios da natação. Por ser um esporte com resposta rápida, você terá motivação para evoluir cada vez mais. Em 12 semanas (por volta de 3 meses) de natação, a percepção dos benefícios será bastante significativa. Após 6 meses com frequência regular, será possível perceber que os avanços são cada vez mais progressivos e regulares.

Agora que mostramos os benefícios da natação para todas as idades, comece a praticar e faça boas braçadas!

Categorias
Infantil

Qual a melhor idade para aprender inglês?

A melhor idade para colocar os filhos em aulas de idiomas é uma dúvida muito comum. Há quem diga que, quanto mais cedo melhor, e há quem defenda que a criança precisa de mais maturidade para adquirir uma segunda língua. Confira, a seguir, qual a melhor idade para aprender inglês.

A melhor idade para aprender uma segunda língua

Até os 4 anos de idade, o cérebro da criança não está completamente desenvolvido, mas isso não significa que não vale a pena que ela aprenda uma língua diferente. Embora as relações semânticas e sintáticas das línguas acabem se integrando durante a aquisição, a criança com 4 anos ou menos terá mais facilidade de adquirir o funcionamento da segunda língua do que se fosse exposta a ela apenas depois dos 6 anos. Por quê?

Porque todos nascemos com a faculdade de adquirir o sistema de funcionamento de qualquer língua e com a capacidade de reproduzir qualquer som. No entanto, com a aquisição da língua materna, a criança “seleciona” apenas as estruturas e os sons que são necessários em sua língua, o que torna muito complicada a aquisição de uma segunda língua posteriormente. Depois dos 6 anos, cada língua é separada em uma estrutura diferente.

Cada idioma novo “se comunica” com o antigo, em camadas. Por exemplo, se a criança aprende inglês, fará isso a partir de suas noções de português. Se, mais tarde, aprende francês, fará relação com seus conceitos em inglês, não apenas com o português. É por isso que, no curso de francês, por exemplo, você se lembra primeiro da palavra em inglês, para depois lembrar dela em português.

A exposição precoce não é prejudicial?

Pelo contrário. Com o passar do tempo, o cérebro se “compromete” com a língua materna, dificultando o aprendizado de outro idioma. E, se aprendermos cedo um segundo idioma, teremos facilidade no próximo, pois o cérebro já “descobriu” que existem outras possibilidades de estruturar frases. Quanto antes seu filho estudar uma nova língua, melhor. Então providencie alguns livros e jogos porque é brincando de faz de conta é que se começa a ensinar uma segunda língua para o seu pequeno.

Categorias
Infantil

Jogos para crianças de 2 anos para auxiliar no desenvolvimento

Com a enorme oferta de brinquedos infantis disponível atualmente, não é tarefa fácil escolher quais comprar para o pequeno. Mas a escolha dos brinquedos não deve ser subestimada, pois alguns podem ser valiosos recursos no desenvolvimento psíquico e motor dos seus filhos, além de auxiliarem no seu desenvolvimento social, por meio da interação com adultos e outras crianças.

Por volta dos 2 anos, a criança começa a se perceber como indivíduo em relação ao mundo, e os jogos educativos e lúdicos passam a ser especialmente importantes para ela. Veja, a seguir, quais são os melhores jogos para crianças de 2 anos.

A criança de 2 anos

Por volta dos 2 anos, a criança começa a exibir claros sinais de individualidade. Até então, o pequeno costuma seguir os modelos e as decisões dos pais, mas, durante a famigerada “adolescência do bebê” (como muitos chamam a fase dos 2 anos), ele passa a se perceber como indivíduo, com desejos e opiniões próprias, e isso gera uma enorme necessidade de tomar decisões e fazer escolhas por si.

Além disso, a criança de 2 anos está começando a correr, pular, arrastar, puxar e empurrar, ou seja, é uma fase crítica do seu desenvolvimento motor. Ainda, também começa a dominar melhor a faculdade da linguagem, permitindo que ele possa se expressar melhor.

Melhores tipos de jogos para crianças de 2 anos

Veja, a seguir, 3 tipos de jogos que irão auxiliar o desenvolvimento do seu pequeno:

Blocos de montar

Especialistas em desenvolvimento infantil afirmam que brincar com blocos de montar desenvolve o raciocínio espacial, bem como a consciência de proporções e padrões. Durante a montagem dos blocos, o pequeno pensa sobre que peças vão funcionar melhor, como devem ser organizadas e quão grande ou pequena a criação deve ser.

Ou seja, os blocos de montar também trabalham habilidades como resolução de problemas, criatividade, planejamento e organização. Os blocos de montar auxiliam no desenvolvimento motor, já que a criança precisa de coordenação para encaixar os blocos uns nos outros.

Brincadeiras de faz de conta

As brincadeiras de faz de conta são marcadas por um diálogo da criança com outras crianças, com adultos e mesmo com bonecos. Elas requerem constante negociação de significados e de regras que regem uma situação conforme as crianças assumem papéis. Ao mesmo tempo em que desenvolvem importantes habilidades, as crianças trabalham alguns valores, examinam aspectos da vida cotidiana e apreendem os matizes emocionais de diferentes personagens.

Hoje, sabe-se que a ludicidade não se trata apenas de diversão, mas também de uma forma de estimular o desenvolvimento geral da criança por meio da assimilação e transformação da realidade.

Quebra-cabeças

Quebra-cabeças com poucas peças ajudam a estimular o raciocínio lógico, a concentração, a observação e a persistência do pequeno.

Movimentos com os olhos e com as mãos executados, ao brincar com quebra-cabeças, poderão facilitar e preparar melhor as crianças para o hábito da leitura. Estudos realizados com crianças com idade entre 0 e 3 anos concluíram que montar quebra-cabeças auxilia a firmar as bases que as crianças precisam na vida, como autoconfiança na resolução de problemas e os torna aptos a explorar, cometer erros e aprender.

Categorias
Infantil

Nunca sai de moda: como andar de patinete

Andar de patinete traz muitos benefícios para o desenvolvimento psicomotor da criança. Além de divertido, andar de patinete aumenta a concentração e o equilíbrio, fortalece os músculos das pernas, pulmões e coração, melhorando a resistência física e também a circulação sanguínea. Sem contar que não tem coisa melhor do que brincar ao ar livre né? Acompanhe nossas dicas para saber como andar de patinete e escolha o melhor veículo de acordo com a idade da criança.

Para começar: qual a idade da criança?

A partir dos 2 anos já é possível escolher um patinete para a criança. Nessa idade, o melhor é um modelo de 3 rodas: 2 dianteiras e 1 traseira, o que facilita a aprendizagem e o controle do veículo.

Com 5 anos, a criança já pode começar a usar patinete de 2 rodas, mas escolha um modelo de rodas largas, o que dará mais estabilidade. A partir dos 8 anos, já é possível escolher patinetes mais avançados. As possibilidades são muitas.

Independente da idade, escolha um modelo com sistema de freio e preste atenção também na montagem e desmontagem, para que seja prático transportar no carro, por exemplo. Outro ponto importante são os equipamentos de segurança: capacete, joelheiras, cotoveleiras e tênis confortável. Com essas dicas em mente, seu filho está pronto para aprender a andar de patinete.

Como andar de patinete?

Para praticar, procure um local plano, seco e sem movimentação de carros e muitas pessoas. Um lugar asfaltado pode ser muito bom, mas o melhor é uma calçada bem retinha.

Peça para a criança subir no patinete usando um pé, que ficará reto e alinhado ao patinete. A dica é que ela segure no guidão e vá empurrando o chão com o outro pé. A velocidade pode ser aumentada de acordo com a habilidade e segurança da criança.

Quando você notar que o pequeno se sentiu mais seguro, diga para colocar o outro pé no patinete e, após notar que ele está estável novamente, diga para mexer a cintura de um lado para o outro, lentamente, o que vai ajudar a manter a velocidade. Se precisar de mais velocidade, é só colocar um pé no chão novamente e empurrar. Para controlar a direção, basta movimentar o guidão. Quando precisar do freio, basta pisar nele, que fica localizado na roda de trás do patinete.

Categorias
Infantil

Como estimular a criatividade na primeira infância

“A capacidade cognitiva humana nasce e se desenvolve, não vem pronta”. Essa constatação de Jean Piaget nos faz entender que temos que estimular a criatividade desde a primeira infância com brinquedos e brincadeiras. Esses brinquedos é que vão fazer a cognição (raciocínio) das crianças se desenvolver e a criatividade ser estimulada.

A criatividade é uma habilidade

Músicas, a fala dos pais e familiares próximos à barriga da mãe, sons de animais e da rotina familiar são os primeiros estímulos que ajudam a desenvolver o raciocínio criativo nas crianças desde bebês.

É mais do que normal o bebê reagir dentro da barriga da mãe ao escutar a voz dela e de familiares. É a cognição dele sendo desenvolvida por meio dos sons. Ouvir música estimula a criatividade e a memória dos bebês e traz excelentes resultados mais tarde, na fase escolar.

Como estimular a criatividade com brinquedos

Brinquedos “de empilhar” fazem as crianças imaginarem que constroem edifícios, inclusive a própria casa, e estimulam a criatividade com a motricidade. Para os bebês, esses brinquedos são rosqueados. Associados a esses estão os brinquedos “de encaixar”, a criatividade aqui é usada para percepção do bebê. Esses brinquedos são geométricos ou em formato de animais, trabalham a coordenação manual, memória e coordenação visual.

O quebra-cabeça é outro brinquedo de encaixar que faz a cabeça não só das crianças, mas também de adolescentes e adultos. Trabalha percepção visual, pensamento lógico, paciência e persistência.

Os brinquedos “de modelar” estão entre os mais tradicionais na infância de todo mundo. A massinha de modelar estimula o tato nas crianças. Nesse momento, a criatividade é aplicada às formas, cores, tamanho e utilidade da escultura que a criança irá fazer. A massinha amplia a capacidade de se concentrar em uma atividade e a criança aprende também a cumprir metas. Não podemos esquecer que essas massinhas só são indicadas para crianças acima dos 3 anos. É recomendado que bebês menores só brinquem com massinha caseira (e comestível).

Bonecas e carrinhos também estimulam a criatividade infantil, pois fazem as crianças imaginarem situações que, na maioria das vezes, reproduzem cenas cotidianas, sonhos e desejos.

Brincadeiras esportivas, como jogos com bola, trabalham a criatividade, o espírito de equipe, a hierarquia de grupos e o respeito às regras. Bicicletas, patins, skates e outros usam a adrenalina como componente principal de seus atrativos e a criatividade se desenvolve ao lidar com as situações diversas e, por vezes, inesperadas.

Mas a melhor maneira de estimular a criatividade é por meio da leitura. Fazendo uso de uma literatura adequada à faixa etária da criança, é possível despertar nos pequenos a imaginação, o interesse por novas culturas, novas formas de ver o mundo, maneiras alternativas e sustentáveis de viver.