Melhores bebidas para acompanhar o bolinho de bacalhau

Assado ou frito, o bolinho de bacalhau é uma delícia independente da maneira que for preparado, e acompanhado de um drink fica ainda melhor. Por isso, separamos algumas das bebidas que mais combinam com esse famoso petisco para você aproveitar um bom happy hour em casa. Se você não pode ir até o bar, levamos o bar até você. Confira!

Cerveja

Você já sabe que a cerveja vai muito bem com o bolinho de bacalhau, mas existem tipos da bebida que combinam ainda mais com o petisco. Como o bacalhau é um peixe de sabor mais intenso, é possível harmonizá-lo com uma cerveja mais amarga, pois não vai ofuscar seu sabor. Caso prefira um estilo de cerveja mais leve, invista nas cervejas de trigo.

Caipirinha

Só de imaginar já dá água na boca, né!? A caipirinha é uma bebida leve que combina perfeitamente com o bolinho de bacalhau, e pode ser preparada com o destilado de sua preferência (vodka, cachaça ou saquê). Além disso, você também pode escolher a fruta que mais gosta.

Vinho tinto

Vinho e peixe é aquela combinação que não tem erro. É uma das harmonizações mais conhecidas, se não a mais. Nesse caso do bolinho de bacalhau, o vinho tinto é uma ótima escolha devido à fritura, na maioria das vezes usada no preparo do petisco. Os vinhos que possuem uma maior acidez são os mais indicados.  

Vinho branco

Para quem quer harmonizar esse petisco com vinho, mas prefere algo mais leve, o vinho branco é a opção ideal. Também possui a acidez adequada para acompanhar o bacalhau, mas ao mesmo tempo é delicado. *Beba com moderação

Curiosidades sobre a cerveja

Uma das bebidas mais populares e mais pedidas no mundo, a cerveja une povos há cerca de 6 mil anos.

Seja para finalizar um dia difícil, confraternizar com os amigos ou curtir um momento a dois, nada melhor do que uma cerveja gelada, não é mesmo? E mergulhando a fundo nesse copo, é possível descobrir um mundo de curiosidades detrás dessa bebida tão plural.

Para começar, a cerveja foi descoberta e não criada. Vem saber mais!

PRIMEIROS REGISTROS 

Ninguém sabe exatamente quando, mas há palpites de historiadores: uns, afirmam que foi logo na origem dos povos agrícolas. Como alguns cereais eram difíceis de serem consumidos crus, eles acabavam sendo mergulhados em água, numa espécie de: “vamos ver o que vai dar”. (E deu certo!)

Outros registros antigos relatam o consumo de cerveja na região onde, atualmente, fica o Egito. Mas nesta época, ela servia mais como fonte de alimento do que de socialização. Dá-lhe tempo, hein? 

Lembrando que, nesta época, os povos contavam com o processo de fermentação natural.

Desde então, a cerveja teve muitos gostos e modos de preparo até atingir a fórmula atual. Mas a que realmente prevaleceu foi a receita europeia, que utiliza malte de cevada ou trigo, lúpulo e água.

A CERVEJA BARBANTE


No Brasil, a cerveja foi trazida pela família Imperial. No início, eram curiosamente chamadas de “cervejas barbante”: por terem um grau concentrado de gás no engarrafamento, as rolhas precisavam ser seguradas por barbantes para não voarem por aí! Depois disso, variações da bebida foram sendo criadas pelo país com ingredientes locais, até chegar às marcas produzidas atualmente.

DIA INTERNACIONAL DA CERVEJA

Você acha mesmo que uma das bebidas mais populares do mundo não teria um dia só dela? O Dia Internacional da Cerveja é celebrado sempre na primeira sexta-feira do mês de agosto.

Criada na cidade de Santa Cruz, na Califórnia (EUA), sua primeira celebração aconteceu em 2007 e foi idealizada por Jesse Avshalomov. No início, havia uma data fixa para acontecer o evento: 05 de agosto. Mas em 2012, os organizadores do evento decidiram optar pela primeira sexta do mês de agosto – e assim permaneceu. 

O Dia Internacional da Cerveja tem tem 3 motivações:

1. se reunir com os amigos;

2. celebrar os responsáveis por fabricá-la e servi-la; 

3. unir o mundo, a fim de comemorar as cervejas fabricadas por todas as nações.

Demais, né? Agora é só escolher a que você mais gosta e aproveitar!