Categorias
Auto e Ferramentas

Estepe: cuidados necessários

Geralmente escondido no seu carro – quando não é guardado na parte externa –,  o estepe é normalmente esquecido até você precisar dele. Mas quando esse momento chegar pode ser tarde demais. O pneu reserva do seu carro precisa de manutenção regular para garantir que possa ser usado quando um dos pneus principais furar ou estourar. Para garantir que o estepe tenha uma manutenção adequada, adicione as dicas a seguir à sua rotina de cuidados com o carro.

Mantenha o estepe calibrado

O ideal é calibrar os pneus do carro a cada 15 dias, e sempre que o fizer, não esqueça do estepe. Calibre na quantidade indicada no manual do veículo. Isso vai compensar a perda de pressão ao longo do tempo e se você for viajar, garante que está com a calibração em dia para suportar a carga do carro.

Pneu mais baixo apenas para emergências

Hoje em dia é normal que o estepe seja menor do que os pneus de uso diário. Importante: estamos falando da largura da banda de rodagem, não do tamanho da roda, que deve ser idêntica às outras rodas. O estepe mais fino é mais barato e mais leve, só que é feito para emergências e não para usar por muito tempo ou em alta velocidade. Use-o apenas para não ficar na mão caso ocorra um imprevisto na estrada, seguindo lentamente até uma posição onde consiga consertar o pneu.

Verifique o desgaste do pneu

Assim como os pneus de uso diário, o estepe não pode estar careca. A lei diz que os sulcos  devem ter profundidade mínima de 1,6 mm, ou você pode ser multado. A maneira mais fácil de evitar isso é não rodar com esse pneu reserva mais do que o necessário, e não incluí-lo na rotação dos pneus principais.

Se trocar a roda, substitua os parafusos

Exceto em alguns carros que vêm com roda de liga leve, o normal é que o estepe tenha uma roda de aço. Se preferir deixá-lo com uma roda como as demais, não esqueça de trocar também os parafusos de acordo com a especificação da nova roda. Se forem diferentes, podem não encaixar da maneira correta, correndo o risco de não segurar bem o estepe com o carro em movimento.

Verifique se o estepe está em boas condições

Um pneu tem um prazo de validade de, em média, cinco anos. A partir daí, a borracha passa a deteriorar devido aos efeitos da umidade, temperatura e pressão, afetando toda a sua estrutura. Ao calibrar o estepe, certifique-se de que não apresenta rachaduras na borracha, o que indica que o pneu está danificado e pode causar acidentes.

Preste mais atenção caso o seu pneu reserva esteja localizado fora do veículo, como em muitos SUVs e versões aventureiras. Mesmo protegido, fica mais exposto, reduzindo sua vida útil em relação a um estepe armazenado no interior do carro.

Categorias
Auto e Ferramentas

Dicas para conservar os pneus do carro

Um pneu bem conservado é uma das partes mais importantes para garantir a segurança e conforto do carro. Além disso, os cuidados mantêm uma boa estabilidade, frenagem e melhoram até o consumo de combustível. Por isso, hoje trouxemos as melhores dicas para você conservar os pneus do seu carro. Confira!

Calibragem frequente 

Uma calibração adequada é ideal para a estabilidade do veículo e faz com que sua durabilidade aumente. O correto é calibrar os pneus a cada 15 dias, e você pode consultar a pressão correta no manual do fabricante. Não esqueça que a pressão deve ser regulada com os pneus frios.

Balanceamento e alinhamento

Os procedimentos de balanceamento e alinhamento devem ser feitos quando os pneus forem substituídos ou quando o rodízio for feito, e também sempre que o motorista notar que o carro está puxando para algum dos lados ou está vibrando.

Dessa forma, todas as rodas são desgastadas igualmente e mantém os pneus conservados por mais tempo.

Rodízio dos pneus

Os pneus se desgastam de forma diferente com o uso do veículo. Por isso, troque os pneus da frente pelos de trás a cada 10 mil quilômetros, ou de acordo com o indicado no manual do fabricante. É um procedimento simples, mas que melhora a estabilidade do carro e sua aderência em pisos molhados.

Evite excesso de carga

A sobrecarga no veículo pode comprometer a estrutura interna dos pneus. Fique atento no peso permitido para carregar no carro e, assim,  garantir a vida útil das suas rodas.

Atenção com estepe

Assim como os pneus em uso, o que fica de estepe também deve ser cuidado com frequência com sua calibragem correta. Afinal, ninguém quer passar por um imprevisto com essa peça, não é? Além disso, as más condições do estepe podem dar multas e pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

Categorias
Auto e Ferramentas

Como limpar rodas corretamente

É fundamental cuidar bem das rodas do carro. De nada adianta manter a lataria brilhando se as rodas estiverem sempre sujas. Porém, é preciso tomar cuidados com os produtos utilizados, alguns deles podem danificar a pintura. Confira aqui algumas dicas de como lavar as rodas do seu carro corretamente.

As rodas podem ser lavadas periodicamente com uma esponja destinada exclusivamente para isso. Para eliminar o pó das pastilhas de freio, que se acumula nelas, use água, shampoo para carros ou sabão neutro. Evite detergentes concentrados, pois eles não foram feitos para a lavagem de rodas, podendo remover tinta e causar riscos. 

Além disso, uma escova de cerdas macias pode ser muito útil para remover até aquela sujeirinha mais difícil, que se acumula nas frestas. Depois de lavar as rodas completamente, é importante usar uma toalha seca para evitar manchas de água após a limpeza. 

Dica: Limpe as rodas antes de lavar o veículo. Assim, você evita que a água suja espirre no carro já limpo.

Outros produtos 

Se você quer limpar as rodas e deixá-las brilhando como novas, uma boa dica são produtos específicos que eliminam sujeiras pesadas com mais facilidade. Eles quebram as moléculas de sujeira da superfície fazendo a flotação, ajudando na limpeza. Geralmente são vendidos como “Limpa Roda e Motores”.

Porém, é importante escolher produtos de limpeza não ácidos a fim de proteger o acabamento das rodas evitando derivados de petróleo ou qualquer produto que seja composto de borracha. 

Caso deseje realizar uma limpeza mais profunda, existem ferramentas adequadas para limpar as rodas completamente. Bons exemplos são as escovas específicas que alcançam dentro das rodas, além de pincéis para a limpeza dos aros. 

Categorias
Auto e Ferramentas

Pneu tem validade?

Os pneus são um dos componentes mais importantes do seu carro e, ao mesmo tempo, uma das peças mais ignoradas. Conhecê-los e aprender a identificar o seu estado de desgaste é essencial e pode fazer a diferença em um momento inesperado.

Você certamente já deve ter se perguntado se precisa trocar o pneu mesmo que ele esteja aparentemente em bom estado, ou até mesmo pensado em economizar ao comprar um usado. Saiba que esse é um momento importante, e é preciso analisar bem o pneu para que você continue dirigindo com segurança. Comprar um produto desgastado ou usá-lo por mais tempo do que o recomendado pode ser arriscado.

Como saber se estou usando corretamente?

É difícil determinar uma validade exata para o pneu, pois depende muito do seu uso. Se você usa seu carro apenas aos finais de semana, em estradas asfaltadas e com boas condições, o vencimento será diferente do pneu utilizado por alguém que costuma dirigir diariamente por longos períodos, enfrentando estradas de terra, etc. O tempo de vida desse produto depende muito de sua utilização e conservação.

Portanto, ao contrário do que muitas pessoas pensam, o pneu possui validade sim. Não tem data determinada, mas além de uma, existem duas maneiras de calcular esse vencimento. Te mostramos a seguir.

Data de Fabricação (DOT)

A primeira coisa a verificar é a data em que ele foi fabricado. Você encontra essa informação encontra facilmente no próprio produto. Se chama DOT, uma série de letras e números, sendo que os últimos quatro indicam a data de fabricação. Por exemplo, se os últimos dígitos são 0820, significa que foi produzido na oitava semana de 2020.

Talvez você acredite que um pneu não usado continua impecável, mas não é bem assim. Embora ele permaneça na prateleira da loja ou de uma garagem, sua validade é de 5 ou 6 anos, devido a oxidação natural da borracha. Após esse período, ele pode ficar ressecado e trincado, diminuindo a estabilidade e aderência, o que deixa o carro mais exposto a alguns riscos. Desse modo, ele perde sua validade sendo ou não usado.

As trincas, principalmente em alta velocidade, podem provocar a explosão do pneu. Portanto, se mesmo assim você quiser utilizá-lo por mais tempo, fique atento aos detalhes e examine-o cuidadosamente com frequência para prevenir acidentes.

Tempo e modo de uso

Como citamos acima, os pneus têm uma vida útil de aproximadamente 5 ou 6 anos, porém, pode ser necessário trocá-los bem antes da “data de validade”. Há muitos fatores que podem causar o desgaste dos pneus, como seu estilo de direção, hábitos de manutenção e condições do asfalto. Veja abaixo alguns sinais que indicam que já está na hora de substituí-los.

– TWI: é o indicador de desgaste da banda de rodagem do pneu. O limite para rodar é quando o desgaste chega a 1,6 mm. Nessa condição, já pode ser considerado, pela lei, um pneu careca e é o momento ideal para fazer a troca, evitando acidentes e multas.

– Desgaste acentuado nos dois ombros (nas duas bordas do pneu)

– Desgaste central: ocorre quando o pneu está cheio demais, resultando no desgaste do centro do pneu mais rapidamente do que as bordas.

– Desgaste acentuado em um dos ombros (interno ou externo) devido ao desalinhamento

– Desgaste regular: pneu careca, completamente liso, sem nenhum relevo.

Os pneus lisos aumentam o risco de perda de controle do carro e também podem levar ao alto consumo de combustível. Ter pneus em boas condições não só ajudará a melhorar o desempenho do carro, mas também reduzirá o risco de acidentes. E lembre-se: jamais use seu pneu por mais de 10 anos.

Cuide-se! Se for pegar a estrada para as festas de fim de ano, examine seus pneus para garantir a sua segurança. Se precisar trocá-los, visite o site do Carrefour. Com certeza você vai encontrar o pneu mais adequado para o seu carro.

Categorias
Auto e Ferramentas

Descubra se vale a pena comprar pneu meia vida

Na hora de trocar os pneus, logo pensamos em opções mais econômicas como pneus usados. Afinal, eles custam bem menos que os pneus novos. Mas será que vale a pena o risco? Confira!

Pneu meia vida

Pneu meia vida é um pneu já usado, mas que ainda tem vida útil pela frente. Apesar de manter as especificações e dimensões, podem estar com desempenho e estabilidade comprometidos devido ao fato de serem pneus já usados. 

Mesmo que pneus meia vida apresentem a vantagem do valor mais baixo e consigam rodar mais alguns quilômetros, é importante levar em conta que eles foram descartados por algum motivo, e ninguém descartaria algo em perfeitas condições.

Dicas 

Se optar por um pneu meia vida, fique atento a um detalhe muito importante: como está a espessura da borracha? Se você observar que o pneu está muito desgastado poderá ter problemas em dias de chuva. Além disso, o desgaste dos pneus gera instabilidade do veículo – o que pode causar acidentes.

Verifique também a idade do pneu. A maioria dos governos e associações automotivas recomenda substituir os pneus a cada cinco ou seis anos, independente da quantidade de piso deixada. 

Conclusão

Comprar um pneu meia vida não compensa. Apesar da economia, os riscos são muito grandes. É o famoso “barato que pode sair caro”.  Por isso, nossa recomendação é sempre a escolha por pneus novos. 

No site do Carrefour você sempre encontra ofertas em pneus e demais produtos automotivos. Aproveite!

Categorias
Auto e Ferramentas

De quanto em quanto tempo devo fazer a calibragem dos pneus?

Deixar os pneus bem calibrados é importante para garantir a segurança de todos, além de ajudar a reduzir o consumo de combustível do veículo e aumentar a vida útil dos pneus, diminuindo também os gastos de manutenção do carro. Mas você sabe de quanto em quanto tempo a calibragem de pneus deve ser feita? Essa é uma dúvida bem comum que vamos esclarecer aqui.

Quando fazer a calibragem de pneus?

O ideal é fazer a calibragem a cada 15 dias e com os pneus frios, ou seja, tendo rodado menos de 3 km com o carro. Ao calibrar com os pneus frios, você garante partículas de ar mais estáveis dentro dos pneus e uma calibragem mais eficaz e duradoura do seu carro.

Se perceber que seus pneus estão precisando ser calibrados antes desses 15 dias, vale a pena fazer uma revisão e verificar outros itens de manutenção que podem estar prejudicando seu veículo.

Como fazer a calibragem?

Tão importante quanto a frequência da calibragem é a pressão correta dos pneus. Siga as recomendações do fabricante do seu automóvel, que costumam estar especificadas na porta do veículo ou no manual do proprietário. Atenção também à sua necessidade: saiba que a pressão adequada ao uso do veículo em estradas é diferente da pressão ideal para o dia a dia. O mesmo vale para carros leves ou pesados, com carga ou muitos passageiros. Para conferir essas informações consulte o manual do proprietário. Dica: caso tenha comprado o carro usado, lembre-se que as montadoras costumam manter versões em PDF em seus sites.

Para calibrar os pneus, não se esqueça de esperar os pneus esfriarem. Vá até um posto de gasolina e digite na bomba o calibre desejado. Retire a tampinha da válvula do pneu e encaixe a mangueira da bomba. Aguarde a bomba calibrar o pneu e a emissão do aviso sonoro ao fim do processo. Tampe novamente a válvula de ar do pneu e guarde a mangueira da bomba no lugar correto. Muitos postos contam com frentistas para fazer esse serviço para você, mas é essencial saber fazer sozinho também.

É importante manter o balanceamento e alinhamento do veículo a cada 5 mil quilômetros e fazer o rodízio de pneus a cada 10 mil quilômetros, garantindo assim a estabilidade da calibragem de pneus.

Categorias
Auto e Ferramentas

Usando pretinho para o pneu ficar com cara de novo

Tem motorista que adora cuidar do carro toda semana, deixando bem limpinho tanto por dentro quanto por fora – e sem esquecer dos pneus bem pretinhos e brilhantes! A aparência de carro novo é tudo de bom! Mas você sabe o segredo de um pneu bem limpo e tinindo de novo? É o tradicional “pretinho para pneu”, ou “pneu pretinho”, como preferir.

O pretinho para pneu é seguro?

Sim! A maioria das marcas utilizam uma fórmula com base de glicerina, o que deixa o pneu mais brilhante, sem deteriorar a borracha ao longo do tempo. Além disso, ele forma um bloqueio antissujeira evitando que poeira e terra se juntem na superfície, conservando-o limpo por mais tempo.

Como aplicar?

A aplicação é bem simples. Há aqueles que podem ser aplicados com uma esponja ou pano seco, enquanto outros são em formato de spray que facilitam bastante na aplicação. O importante é deixar o pneu limpo e seco antes de aplicar, sendo lavado com sabão, água e esponja.

Faça você mesmo seu pretinho para pneu

Quer deixar seu pneu muito mais limpinho e brilhando sem precisar gastar muito? Faça seu pretinho para pneu caseiro! A ideia é muito simples e você pode utilizar sempre. Basta apenas 1 litro de xarope de groselha, 500 ml de álcool comum e 1 colher de sopa de vinagre. Coloque todos os ingredientes em uma garrafa pet, misture e guarde para quando precisar.

Aplique com um pincel quando seu pneu estiver seco e limpo, pois isso fará com que o produto dure mais e capriche nas marcações, passando o pincel lentamente para que não forme bolhas. Ah, e lembre-se de passar somente nas laterais. Ele adere na borracha em 1 semana e essa receita dura até 1 ano. Viu como é fácil?

Categorias
Auto e Ferramentas

Gasolina ou etanol: qual é a melhor opção para o seu carro?

É fato: quando se tem um carro, um dos gastos mais recorrentes com certeza é o combustível. Sempre vai um pouquinho por semana e quando se vê, o tanque está na reserva. E, na busca pelo posto de gasolina com um bom valor, sempre surge aquela dúvida: gasolina ou etanol: qual é a melhor opção? É importante lembrar que o rodízio de pneus é essencial para a economia de combustível.

Prós e contras da gasolina

Há muitos prós e contras quando o assunto é a gasolina. O primeiro ponto positivo com certeza é a qualidade do arranque e desenvolvimento do carro, que é superior a qualquer outro tipo de combustível. Logo atrás vem o rendimento, também acima da média. E não para por aí: a gasolina aditivada traz aditivos que “tratam” o motor, corroendo-o muito menos. É um grande benefício a longo prazo.

Vale ressaltar que o valor geralmente é maior que o álcool e esse combustível não faz tão bem ao ambiente, vindo de uma fonte esgotável, poluindo o ar com a emissão de gás carbônico.

Prós e contras do etanol

Por possuir como matéria-prima a cana de açúcar, uma fonte renovável, o etanol é amigo do ambiente. Outro ponto a se considerar é que da sua produção também saem substratos como o bagaço e a palha, que produzem vapor e geram energia mecânica, térmica e elétrica. Já quando o assunto é o motor, é importante ressaltar que o etanol proporciona uma potência maior ao veículo.

Quanto ao rendimento, ele faz 30% menos quilômetros por tanque do que a gasolina. Além disso, pode perder a capacidade de combustão quando a temperatura está abaixo dos 13 ºC.

Resultado final

Para saber qual combustível combina mais com o seu estilo de vida, é necessário ter um olhar apurado sobre os pontos acima. Também é importante ressaltar que além desses pontos, tem um que deve ser observado: a qualidade do posto de gasolina. A rede de postos Carrefour não só treinou seus funcionários para a checagem do combustível que chega, como também adquiriu a posse de 2 laboratórios móveis, que visitam suas unidades, verificando a garantia e procedência dos combustíveis, sendo eles diesel, gasolina ou etanol.

Categorias
Auto e Ferramentas

Vai encarar uma trilha? Conheça o melhor pneu para lama

É essencial saber escolher o melhor pneu para o seu carro, pois no mercado existem diferentes tipos de pneus e cada um foi desenvolvido para um tipo de terreno ou situação. Cada um foi desenvolvido para um tipo de solo e usá-lo em outro pode trazer alguns problemas para seu bolso e seu carro.

Tipos de pneus

No mercado temos 3 categorias de pneus, sendo que cada um foi desenvolvido para um tipo específico de terreno. Vamos a eles:

Off-road

Com sulcos mais largos e banda de rolagem mais larga, eles são ideais para estradas de terra ou lugares com lama.

Misto

Esses pneus foram desenvolvidos para o asfalto. Ele possui maior contato com o solo, pois seus sulcos são menores. Mas também podem ser utilizados em estradas de terra.

Verde

São pneus feitos com outros materiais, que os deixam mais leve, menos ruidosos e com menor resistência ao rolamento, fazendo com que gaste menos combustível. Esses pneus são feitos para o asfalto.

O melhor pneu para lama

De acordo com os tipos de pneu, o off-road é o mais indicado para quem quer fazer alguma trilha ou enfrentar uma estrada cheia de lama, pois se usar um misto em estradas de terra ele não vai ter a mesma eficiência e vai acabar gastando mais combustível. Vamos ver agora as vantagens e desvantagens de alguns dos pneus off-road.

Mud Terrain

Vantagens Gomos espaçados, impedindo que a lama grude no pneu; São duráveis, mesmo em uso misto; possuem cravos laterais que dão maior aderência ao solo. Desvantagens Pode apresentar ruídos sonoros em razão dos cravos laterais; em trilhas muito radicais, não tem uma performance tão boa quanto aos pneus recapados.

Pneu recapado

Vantagens Dificilmente ficam com lama aderida, pois possuem gomos bem espaçados; possuem cravos laterais, facilitando a saída da erosão. Desvantagens Em estradas de asfalto são desconfortáveis; tem pouca aderência ao asfalto, impossibilitando frenagens bruscas; podem apresentar desgaste rápido no asfalto.

Podemos perceber que os Pneus off-road são aqueles indicados para trilhas e estradas com lama. Mas, se você mora em sítio ou no interior e de vez em quando encara uma estrada de asfalto quando vai à cidade, não seria ideal ter pneus off-road. Isso porque eles iriam desgastar mais rápido. Nesse caso, o recomendável seria um pneu misto, por ser eficiente nos 2 tipos de terreno. Caso você tenha um carro só para trilhas, então aposte nos pneus off-road.

Categorias
Auto e Ferramentas

Como instalar um amplificador no carro

Chamado de módulo ou potência, o amplificador tem a função de amplificar o sinal de áudio proveniente de um DVD player, CD player ou até mesmo de um antigo rádio, ou toca-fitas. Ele alimenta o conjunto de alto-falantes, como drivers, woofers, tweeters ou um subwoofer.

Em outras palavras, o amplificador no carro aumenta a potência do som e também incrementa faixas de frequências seletivas, geralmente as mais graves. Ele é muito útil para quem gosta de dirigir sem abrir mão de escutar as músicas preferidas em alto e bom som. Já adquiriu o amplificador e agora quer fazer a instalação? Então confira o nosso passo a passo:

1 – Defina um local

De preferência, defina um local dentro do veículo que não deixe o aparelho aparecer. Melhor protegê-lo do sol e de possíveis roubos, não é mesmo? A instalação geralmente é feita embaixo do banco do passageiro ou então no porta-malas, ao lado da caixa de subwoofer.

No primeiro local, vale a pena a instalação se o amplificador alimentar os falantes de mid range montados no interior da cabine. Já no segundo local é válida a instalação se o amplificador for alimentar o subwoofer montado no bagageiro. 

2 – Hora de ligar

Você precisará usar 2 tipos de fios para ligar o amplificador. Fique de olho apenas para que eles sejam do tamanho ideal para levar a energia ao equipamento. 

Fio positivo: esse é o fio de energia, na cor vermelha. Ele vai do terminal positivo da bateria ao redor da baía do motor, pelo firewall, embaixo do tapete, até o local escolhido para a instalação do amplificador.

Você deve instalar um fusível em linha a 18 polegadas da ligação da bateria. Esse passo é fundamental. Considere, porém, que os fusíveis devem ser dimensionados para o amplificador. Nunca use um com uma classificação maior, pois isso pode causar um incêndio. No manual do equipamento, você saberá qual é a corrente máxima, que é justamente o que determinará o tamanho do fusível. 

Fio terra: esse fio é preto e liga o amplificador a um pedaço de metal conectado ao chassi do carro. Os veículos modernos utilizam a armação metálica para aterrar todos os eletroeletrônicos. Nesse caso, você não precisará passar o fio de volta à bateria. Mas deve ter a certeza de que o metal esteja limpo, caso contrário a ferrugem ou a pintura pode impedi-lo de fazer uma boa conexão e o desempenho irá cair.

Outro ponto importante é que provavelmente você terá que fazer um buraco para passar o fio ao metal. Se isso for preciso, tenha bastante cuidado para evitar uma perfuração no tanque de gasolina.

3 – Use os cabos com terminações RCA

Os fios dos cabos RCA devem ser passados do lado oposto ao que passou o fio de energia. Procure mantê-los separados para evitar chiado ou ruído do motor de alta frequência no sistema.

4 – Use o cabo de alimentação remota

Esse cabo é azul e é responsável por permitir que as unidades-cabeça controlem de forma automática o processo de ligar e desligar do amplificador. Ele deve ser conectado saindo da unidade-cabeça. Caso a sua unidade não tenha um fio de alimentação remota, instale um pequeno interruptor abaixo dela. 

5 – Passe os fios dos falantes

Passe os fios a partir do amplificador para cada um dos falantes. Novamente, cuide para que eles não passem muito perto um do outro. Pronto. Amplificador instalado.

Agora que você já sabe como instalar um amplificador no carro, aproveite esse passo a passo e instale o seu.