Categorias
Esporte e Lazer

Aprenda como tratar piscina

Pode parecer simples: adquirir uma piscina, enchê-la de água e começar a diversão. Mas ter uma piscina em casa exige alguns cuidados e uma manutenção que inclui medir e equilibrar alguns índices fundamentais, não só pela economia financeira, mas também pela saúde da sua família. Veja abaixo algumas dicas simples de como tratar piscina.

Por onde começar?

Ao comprar a sua piscina, você também vai precisar investir em alguns produtos que juntos vão cuidar e manter a qualidade da água. Os principais são: cloro granulado, algicida, kit de teste de pH, teor alcalino e cloro, elevador e redutor de pH e elevador e redutor de alcalinidade.

O ideal é que essa atenção seja dada uma vez por semana, se a piscina for utilizada com muita frequência. Um intervalo maior que esse pode comprometer a qualidade da água.

Como eu calculo a quantidade de produtos?

Os fabricantes dos produtos dão os seus direcionamentos em suas embalagens, mas é importante que você tenha uma ideia do volume total da sua piscina para agilizar esse processo. Em geral, você precisa equilibrar a quantidade de produtos a cada 1.000 litros. Por exemplo, uma piscina de 42.000 litros receberia 42 doses de determinado produto. Se você tem dúvidas, pode usar as fórmulas abaixo de acordo com o formato da sua piscina:

Retangular: comprimento x largura x profundidade média

Redonda: diâmetro x diâmetro x profundidade média x 0,785

Oval: diâmetro maior x diâmetro menor x profundidade média x 0,785

Os resultados são dados em m² e, para calcular a profundidade média das piscinas redondas e ovais, é só calcular a profundidade maior x profundidade menor e dividir esse valor por 2.

Mão na massa: como tratar a piscina

Com os produtos em mão e as quantidades organizadas, comece filtrando a água da sua piscina. O ideal é que ela passe um dia inteiro sendo filtrada. Após isso, aspire o fundo da piscina. Depois de aspirar é hora de aplicar o algicida.

E, somente após esse processo, você verifica a dosagem do pH, da alcalinidade e do cloro. Para isso, você vai utilizar os kits de teste que, de acordo com as instruções da embalagem, indicam cada índice na mesma tira, utilizando um sistema de cores. O ideal é começar pelo ajuste do teor alcalino. O controle desse índice facilita o equilíbrio do pH. O teor alcalino tem que estar entre 80 e 120 ppm (partículas por mihão), já o pH tem que estar entre 7,2 e 7,6. Ajuste esses indicadores com os produtos redutores ou elevadores.

Lembre-se: Para corrigir a alcalinidade, o produto deve ser colocado em um ponto único da piscina e, para corrigir o pH da piscina, deve-se espalhar o produto por toda a superfície dela.

Por fim, meça o índice de cloro que deve estar entre 1 e 3 ppm. Caso ele esteja baixo, aplique o produto em pontos diferentes da piscina e espalhe bem. Não se esqueça de seguir as instruções do fabricante presentes nos rótulos.

Produtos complementares

Você ainda pode utilizar produtos e acessórios complementares nos cuidados com a sua piscina. O limpa-bordas é bem claro em seu uso, o clarificante“solidifica” sujeiras que pesam e vão para o fundo da piscina e podem ser aspiradas e, por fim, existem também produtos que retiram o excesso de oleosidade da água.

Para um controle melhor, você pode ainda utilizar flutuadores de cloro. Eles armazenam tabletes de cloro que se dissolvem ao longo da semana controlando o teor de cloro na água e não entra em contato com as paredes da piscina. O contato direto com o cloro pode causar corrosão.

Categorias
Esporte e Lazer

Por que a água do mar é salgada?

O mar é fascinante por incontáveis motivos, mas também carrega inúmeros mistérios presentes por toda sua extensão. Um dos questionamentos que mais ouvimos é por que a água do mar é salgada, e é para responder essa pergunta que levantamos algumas questões sobre o assunto.

A água do mar é composta de sais minerais de muitos tipos, além de possuir cloro, sódio, potássio e cálcio. O cloreto de sódio, conhecido como sal de cozinha, representa cerca de 85% dos sais minerais suspensos no mar. Se acredita que por mais de 500 milhões de anos esse sistema tenha evoluído em função situações como:

Erosão

Os mares e oceanos ocupam grande parte da superfície terrestre e na composição deles está tudo o que foi arrastado pelas águas das encostas e dos fundos dos rios, lagoas e mares. Uma quantidade gigantesca de elementos naturais orgânicos acaba chegando aos oceanos pela ação da erosão e das correntes marítimas, promovendo assim que haja todo um processo de decomposição de elementos que gera uma grande quantidade de sais minerais disponíveis no ambiente marinho.

Ações do tempo

Quando estamos decidindo entre praia e piscina não paramos para pensar que, diferente das piscinas, o mar é elemento vivo, lá habitam peixes e animais de muitos tipos, sendo que alguns existem há milhares de anos e ainda assim mal os conhecemos. E como um habitat complexo ele promove condições de regeneração para que o habitat permaneça passível da sobrevivência da fauna e flora marinhas. Os sais minerais e todos os elementos suspensos na água dos oceanos servem para transformar o mar em um ambiente mais propício à vida.

Evaporação

Os raios solares em contato com as águas marinhas promovem a evaporação de grande quantidade de água pura, quase sem evaporar outros elementos. Só o fato da água pura evaporar já permite que aumente a concentração dos elementos submersos na água como sais minerais e elementos orgânicos.

O mar é um dos mais belos elementos vivos do nosso planeta, abrigando milhares de especiais dos mais variados tipos. Conheça mais o mar e aproveite tudo o que a praia tem para oferecer a você!

Categorias
Auto e Ferramentas

Aquecedor de água a gás Lorenzetti: saiba como escolher o seu

O aquecedor de água a gás Lorenzetti traz para você o conforto de ter água aquecida nos chuveiros, torneiras e outros pontos pela casa. Tudo depende do modelo que mais se adapta à sua família e ao seu estilo de vida. Conheça mais informações sobre esse tipo de aquecedor de água.

Tipos de aquecedores de água a gás

Exaustão natural – é um tipo de aquecedor a gás em que os gases provenientes da queima de gás (para fazer o aquecimento) saem pela chaminé, naturalmente.

Exaustão forçada – uma ventoinha interna realiza a exaustão dos gases, o que torna o aparelho ainda mais seguro, pois, caso haja correntes de vento, o gás não retorna para o ambiente de onde saiu.

Exaustão balanceada – esse tipo de aquecedor possui 2 dutos: um que puxa o ar do ambiente externo para a queima dos gases (e aquecimento da água) e outro por onde saem os gases já queimados do aquecedor para fora do ambiente em que estavam.

Tecnologia digital chega ao aquecedor de água a gás da Lorenzetti

A Lorenzetti, empresa conhecida no segmento de aquecedores de água a gás, apresenta 3 modelos digitais: LZ 2300DE, LZ 3700DE e LZ 4500DE. Esses aquecedores possuem sistema de exaustão inteligente que oferece maior eficiência na exaustão de gases, sendo bastante indicado para quem mora em edifícios altos em que há uma maior concentração de vento.

O modelo LZ 2300DE tem capacidade para oferecer até 3 pontos de água quente simultaneamente, como 2 duchas e 1 misturador. Assim, com esse modelo, você pode ter 2 chuveiros e uma pia com água aquecida em casa.

Já o aquecedor LZ 3700DE oferece até 5 pontos com água quentinha ao mesmo tempo, ou seja, com ele você tem 4 duchas e 1 misturador (torneira da pia com água quente e fria) jorrando água aquecida no mesmo momento.

O LZ 4500DE abastece até 7 pontos com água quente simultaneamente, como 4 duchas e 3 misturadores, por exemplo. Esse modelo de aquecedor é indicado para locais com maior necessidade de fluxo de água, como banheiras de hidromassagem, ofurôs e piscinas aquecidas de tamanho menor.

Qualidade e segurança

Os aquecedores de água a gás digitais possuem display touch para controlar todas as funções com um simples toque. Contam ainda com o controle eletrônico que, por meio de sensores de temperatura e fluxo de água, garantem a temperatura selecionada sem alterações não programadas.

Ou seja, a temperatura selecionada se mantém sempre estável. A segurança também é outra característica primordial nos aquecedores de água que apresentam chama modulante, em que a temperatura da água não se altera mesmo que outros pontos de água quente pela casa estejam sendo usados ao mesmo tempo.

Depois dessas dicas de aquecedores de água Lorenzetti, você já pode escolher o seu.

Categorias
Auto e Ferramentas

Como limpar caixa d´água

Manter a água que sai das nossas torneiras sempre limpa é uma tarefa que cabe à companhia de águas (quando o assunto é água da rua) e a você se a água é da caixa. Por isso, vamos ensinar como limpar a caixa d’água para que a bomba d’água consiga deixar a água limpa para a sua família.

A importância de ter água limpa em casa

Mesmo que você e a sua família só bebam água mineral, é muito importante que a caixa d’água esteja sempre limpa para que a água do banho, da lavagem de roupas e até aquela que molha as plantas saia da torneira sempre limpa e sem odores desagradáveis. Para isso é preciso fazer uma limpeza periódica na caixa d’água da sua casa.

Como limpar a caixa d’água

Antes de começar a limpeza da caixa d’água, é preciso que você corte o fornecimento de água da rua para dentro da sua caixa. Para isso, feche o registro de entrada. Depois, para evitar o desperdício, esvazie a caixa reservando (ou utilizando na hora) parte da água da caixa para a realização de atividades domésticas.

Porém, é preciso deixar cerca de um palmo de água dentro do reservatório para fazer a limpeza da caixa. Agora, feche o registro de saída para impedir que a água ou resíduos da limpeza contaminem a tubulação e os pontos de saída de água. Feito isso, comece a limpeza utilizando pano e esponja macia para limpar o fundo e as paredes internas do reservatório. Se for necessário, utilize pá plástica e escova de cerdas de fibra vegetal, ou cerdas plásticas macias, para retirar excessos de sujeira incrustada ou resíduos da caixa.

Dica importante

Nunca utilize vassouras, escova de cerdas metálicas, detergentes e qualquer tipo de sabão, no procedimento de limpeza da caixa d’água. Descarte a água suja pela tubulação de limpeza. Caso seja necessário, utilize parte da água reservada (aquele palmo de água que você deixou sobrando), para limpar completamente as paredes e o fundo da caixa. A água suja que não descer pela tubulação de limpeza e ficar no fundo do reservatório deve ser retirada com a ajuda de um pano, esponja ou balde.

Nunca pelas torneiras. Mesmo com a caixa sem sujeira aparente, o procedimento de limpeza ainda não está concluído. Assim, é necessário fazer a higienização do reservatório e, posteriormente, dos pontos de consumo. Para iniciar essa etapa, abra o registro de entrada e mantenha os demais registros fechados. Agora, encha a caixa d’água com cerca de 1 palmo de água e feche o registro de entrada.

Feito isso, adicione cerca de 1 litro de água sanitária para cada caixa de 1.000 litros. Logo, se a caixa for de 500 litros, será necessário adicionar apenas ½ litro de água sanitária. Se ela for de 2.000 litros, adicione 2 litros e assim sucessivamente.

Deixe essa mistura na caixa por 2 horas e, a cada 30 minutos, com o uso de um pano ou de uma brocha, passe essa solução nas paredes internas e na tampa do reservatório. Terminadas as 2 horas, abra o registro de saída, torneiras e descargas, para que a solução de água sanitária faça a higienização da tubulação de consumo. Após descartar toda a água, feche todas as torneiras, chuveiros e descargas e abra o registro de entrada para encher a caixa d’água.

Coloque a tampa na caixa, certifique-se de que ela esteja travada e escreva a data da próxima limpeza na parede externa da caixa ou em algum local que seja de fácil acesso para você.

A dica final de como limpar a caixa d’água diz que, para eliminar qualquer resíduo da água sanitária utilizada na limpeza e que, de alguma forma, tenha ficado na tubulação, utilize a parte da primeira água armazenada na caixa para lavar pisos, banheiros e limpar o quintal.