Categorias
Infantil

Como fazer um chocalho para bebês?

Ainda no berço, o bebê pode olhar um móbile e se encantar, mas nada se compara à alegria que vemos quando entregamos a ele um chocalho. Tradicionalmente o chocalho é um dos primeiros brinquedos dos bebês, e saber como fazer um chocalho é a oportunidade que você tem de dar à criança um brinquedo feito por você. Vamos aprender?

Tubinho de remédio

Sabe aquelas pastilhas efervescentes de vitamina C? Pois é! Aquele tubinho pode ser o modo mais fácil de ser fazer um chocalho para o seu bebê! Basta colocar alguns feijões (ou arroz) dentro do tubinho, lacrar a tampa usando supercola e enfeitar a parte externa com fita adesiva decorada. Pronto! Agora você tem um chocalho de bebê feito por você!

Como fazer um chocalho

Usar garrafinhas pet de 237 ml são outra excelente maneira de fazer um chocalho para bebês. Primeiro você precisa pegar alguns caroços de feijão e pintar com tinta guache de várias cores. Depois, enquanto os feijões secam, você faz desenhos no lado externo da garrafa de modo que algumas partes fiquem sem pintar para mostrar os feijões coloridos que estão dentro.

Nesse momento use a criatividade fazendo listras, escrevendo uma frase, letras ou até o nome do bebê. Espere tudo ficar bem sequinho para evitar manchas (em torno de 2 horas). Com a tinta seca é hora de colocar os feijões na garrafinha e vedar a tampa usando supercola (importante para que os feijões não saiam dali!) e o chocalho artesanal feito por você está pronto.

Obviamente que você pode usar outros tamanhos de garrafa pet, mas nada se compara à delicadeza daquelas pequeninas. Dica: jamais use latas, pois o barulho fica muito estridente e pode prejudicar a audição dos pequenos.

Forre com tecido

Se você quer algo mais delicado ou que combine com o enxoval do bebê, em vez de pintar ou adesivar com fita colorida, como foi feito acima, você pode usar tecido. Basta cortar nas medidas suficientes para cobrir a garrafinha ou o tubinho e colar com cola específica para panos, assim o chocalho feito por você ganha a cara do enxoval do seu bebê.

Essas dicas de como fazer um chocalho que demos para você são fáceis e deliciosas de fazer. Experimente!

Categorias
Infantil

10 brincadeiras para festa infantil

O ponto alto de qualquer festa, principalmente infantil, é a diversão. Festa de criança nunca fica monótona e muito menos parada. Mas, para não deixar a festa sob a direção das crianças e acabar num cenário de gritos e correria desenfreada, uma ideia que sempre funciona é incentivar as brincadeiras para festa infantil, assim, elas podem interagir de uma maneira saudável e coordenada.

Guerra de água

Essa é uma brincadeira para os dias de intenso calor. Basta dar a cada criança um lançador de água (ou pistola d’água se preferir), dividir 2 equipes e começar a batalha. Você pode dar a cada criança uma camiseta com uma estampa que seja uma lembrança da festa e do aniversariante para seus convidados, assim, elas não molham a roupa que vieram vestidas. Essa é, sem dúvida, a brincadeira mais refrescante para fazer em festa infantil.

Brincadeiras para festa infantil: Dança das cadeiras

Consiste em criar um círculo com cadeiras. As crianças deverão andar em volta desse círculo ao som da música que, quanto mais agitada, mais rápido elas tem que andar. Quando a música parar de tocar, as crianças tem que sentar nas cadeiras. Porém, o número de cadeiras deve ser menor que o número de crianças, para que uma delas fique sem cadeira e seja eliminada do jogo. A medida que cada criança sai, uma cadeira deve ser retirada. A brincadeira termina quando sobrar apenas uma cadeira, e uma das duas crianças finalistas conseguir sentar quando a música parar.

Pular elástico

Corte um pedaço de 2 metros de elástico de roupa e dê um nó cego. Duas crianças ficam em pé, uma de frente para a outra e colocam o elástico nos tornozelos, formando um retângulo. Os demais participantes fazem uma série de saltos, pulando para dentro, sobre ele e para fora do elástico. Um de cada vez. O objetivo é fazer tudo sem tropeçar, aumentando o grau de dificuldade da brincadeira à medida que o elástico sobe pelo corpo das duas crianças. O grau máximo de dificuldade é quando o elástico atinge a altura da cintura das crianças que seguram. Ganha quem conseguir fazer os saltos sem tropeçar e na maior altura possível.

Piscina de Bolinhas

Essa é uma brincadeira para todas as idades, as crianças menores adoram afundar nas bolinhas e vibram pela diversidade de  cores. Já os maiorzinhos se aventuram com guerra de bolinhas, arriscam mergulhos e saltos na piscina. É t diversão certa e não pode faltar em nenhuma festa infantil, pois, as crianças amam.

Teatro de Fantoches

É uma brincadeira para todas as idades. É possível criar uma história baseada em algum desenho animado e misturar com a história do aniversariante e seus amigos., As ficarão concentradas nas histórias (as histórias devem ter no máximo dez minutos). A melhor maneira de prender a atenção dos pequenos no teatro é fazer os personagens interagirem com as crianças..

Fogo foguinho

O foguinho é uma forma diferente de pular corda. As duas crianças que batem corda vão dizer: “Salada, saladinha, bem temperadinha, com sal, pimenta, fogo, foguinho.” Cada vez que se diz  a palavra foguinho a corda tem que ser girada mais rápido várias vezes seguidas. O vencedor é quem conseguir pular por mais tempo sem tropeçar na corda.

Cabo de guerra

Para esta brincadeira bastam uma corda e algumas crianças. Divida os convidados da festa em duas equipes, trace uma linha no chão para dividir os territórios de cada equipe. Estique a corda de modo que, a linha que divide os territórios, fique exatamente no meio da corda. Coloque uma equipe de cada lado em forma de fila. O primeiro de cada equipe deve ficar a um metro de distância da linha central feita no chão. A brincadeira acontece com cada equipe puxando a corda para o seu lado. O time que tiver o seu primeiro componente pisando na linha central, perde.

Tobogã Inflável

Para crianças a partir de 4 anos de idade. Este é um brinquedo que faz as crianças passarem horas e horas se divertindo. Coloque o tobogã inflável em um espaço amplo e livre, e não esqueça de manter  uma bancada com garrafinhas de água, para manter as crianças hidratadas. E sempre tenha por perto, a supervisão de uma adulto.

Cabra-cega

Para começar a brincadeira, basta vendar os olhos do pegador, que será a cabra cega escolhida por sorteio.

Depois que a cabra cega estiver vendada, as outras crianças correm dela. Quando pegar alguém, a cabra cega tem que adivinhar quem é. Se acertar, o capturado será a próxima cabra-cega. Se errar, continua a brincadeira até a cabra cega acertar o nome de quem pegou.

Morto-Vivo

Essa brincadeira é indicada para crianças a partir dos 5 anos de idade, pois, trabalha a coordenação motora e física e requer concentração  e agilidade. O mais legal é que o líder da brincadeira não precisa ser necessariamente um adulto, uma criança mais velha pode perfeitamente coordenar a brincadeira e todos vão se divertir muito

Essas 10 brincadeiras para festa infantil vão divertir muito o aniversariante e seus convidados.

Categorias
Infantil

Aprenda como jogar bola de gude

Bolinhas de gude custam pouco e são uma forma antiga e muito divertida de brincar! Partidas valendo as bolinhas de gude dos adversários fazem com que crianças se aperfeiçoem para manter seu patrimônio e aprendam desde cedo a negociar. Além disso, saber como jogar bola de gude pode ser uma forma de interagir com crianças e ensinar formas antigas de brincar e manter vivas tradições da sua infância.

O jogo do círculo

Desenhe um círculo no chão com um graveto se for na terra ou com giz se for no piso. Em seguida, desenhe uma linha de cada lado do círculo que será o limite onde os jogadores poderão ficar. Lembrando que quanto maior for o círculo mais difícil será a partida, cada jogador tenta jogar a bolinha à sua bola mestre (maior que as outras) mais próxima do centro do círculo. Quem conseguir começa e os demais jogam na ordem de acordo com a posição da sua bolinha dentro do círculo.

Feito isso, cada um segura a sua bola mestre na mão e um dos jogadores arruma 13 bolinhas (comuns) no centro do círculo em forma de cruz. Quem começa tenta acertar uma bolinha com a sua bola mestre. Caso consiga, o jogador ganha outra chance atirando a bola mestre de onde ela parou em outra bolinha de gude. Se acertar, o jogador fica com a bolinha que foi atingida e ganha um ponto.

Ganha quem conseguir acertar a sua bola mestre no maior número de bolinhas, sendo que as bolinhas de gude podem ser tanto usadas como prêmio como apenas para contabilizar os pontos. Ou seja, não é imprescindível que haja aposta.

Como jogar bola de gude no desenho do triângulo

Desenhe um triângulo no chão de um tamanho proporcional à quantidade de bolinhas a ser colocada dentro dele. Lembrando que só pode haver dentro do triângulo uma bolinha por jogador e que o número máximo é 4.

Como já foi dito acima, cada bolinha que foi colocada no triângulo pertence a um jogador, por isso risque uma linha abaixo do triângulo limitando a distância de 3 metros (ou menos, depende de quem joga e do nível de dificuldade que deseja) das bolinhas no triângulo. Cada criança joga uma bolinha. Quem acertar mais perto e ainda fora do triângulo começa. Se alguém acertar a bolinha do que jogou antes, fica com ela. Um por vez, os jogadores têm que empurrar as bolinhas para fora do triângulo. Quem não conseguir acertar nenhuma bolinha perde a vez. Quem conseguir desentocar as 4 bolinhas de gude fica com todas.

Essas são as 2 formas mais simples de como jogar bola de gude. Agora é juntar a galera e começar a brincadeira.

Categorias
Infantil

Dicas de como ensinar o bebê a andar

Quando o bebê completa 9 meses, os pais já começam a ficar ansiosos para que ele comece a andar. É normal, afinal cada evolução da criança é uma grande conquista celebrada por toda a família. Mesmo que o bebê não esboce os primeiros passos, não há com o que se preocupar. É porque, além de saber como ensinar o bebê a andar, é preciso respeitar o tempo de cada criança.

Há algumas técnicas que estimulam o aprendizado, auxiliando o pequeno a ficar de pé, dominar o equilíbrio e finalmente andar sozinho. O importante é que isso ocorra com muita segurança e carinho! Vamos dar algumas dicas para essa fase fundamental na vida do bebê.

Como ensinar o bebê a andar

O primeiro passo é deixar que a criança explore o chão. O espaço deve estar organizado e limpo. Deixar o bebê no colo ou na cadeirinha não facilita o processo, porque eles não terão como explorar o chão. Uma forma de dar mais liberdade ao pequeno é optar por um andador.

Com ele, a criança consegue brincar em pé, como se estivesse em um carrinho. Muitos trazem também alguns brinquedos na bandeja, para deixar o momento mais divertido. Acompanhe o uso do andador para ver como o bebê se adapta. Lembre-se de não deixar obstáculos por perto, como sapatos, fios, brinquedos e tapetes.

Dicas importantes

Depois de proporcionar mais equilíbrio por meio do andador, uma dica é guiar a criança usando as mãos. Você pode caminhar segurando nas mãozinhas do seu filho e, com o passar do tempo, assim que ele sentir mais segurança, segurar apenas uma. Conforme ele progredir, tente deixá-lo arriscar os primeiros passos sozinhos.

Ofereça um estímulo, ficando a cerca de 1 metro de distância. Ele pode tentar caminhar até você e começar a andar. Durante o processo, é possível que o bebê não tenha firmeza suficiente e caia. Esteja atento para que ele não se machuque. Mas, não demonstre medo nem ansiedade, isso pode atrapalhar e deixá-lo assustado. O acompanhamento deve ser constante, onde quer que o bebê esteja.

Nessa fase, o pequeno pode chegar a lugares que antes não conseguia, porque apenas engatinhava. Espaços com escadas podem receber uma proteção extra, como um portãozinho, tanto no topo quanto na parte de baixo. Isso pode impedir que a criança suba ou desça as escadas sem supervisão. Agora que você já sabe como ensinar o bebê a andar, é hora de colocar em prática as dicas.

No fim do aprendizado, basta curtir e ver seu filho andando com autonomia. Essa é a recompensa do esforço e dedicação de todos os dias.

Categorias
Infantil

Como escolher a melhor babá eletrônica para o seu bebê

A melhor babá eletrônica é aquela que irá garantir a segurança do seu filho e também a sua tranquilidade, certo? Afinal, a hora que seu filho está dormindo é também o momento que você pode descansar ou fazer as suas coisas.

Para acertar na escolha, é importante entender que a melhor babá eletrônica para uma pessoa pode não ser a mesma para outra. Isso acontece porque a escolha do modelo ideal vai depender de vários fatores, como suas necessidades, rotina e até o espaço da sua casa. Sendo assim, veja algumas dicas para você acertar na hora da compra:

Babá eletrônica de áudio

A babá eletrônica de áudio é a mais simples, mas para quem se contenta em apenas escutar o que está acontecendo no quarto do bebê, ela dá conta do recado muito bem. Há diversos tipos, desde os modelos mais básicos até os com recursos extras, por isso a escolha vai depender do que você procura.

Babá eletrônica com câmera

Se você precisa saber tudo o que acontece no quarto do bebê para se tranquilizar, a melhor babá eletrônica é a com câmera. Com ela, você consegue ver a posição do seu filho, se ele está coberto, de olhos fechados, etc.

A câmera também é excelente porque muitas vezes o bebê faz barulhinhos enquanto dorme e com a imagem dá para ter certeza se ele está acordado ou não. Na prática, isso significa que você economizará várias idas ao quarto do bebê. E, não se preocupe, a maioria dos aparelhos possui visão noturna (luz infravermelha) que permite que você veja tudo, mesmo com a luz do quarto apagada.

Analógica ou Digital?

A babá eletrônica pode funcionar com frequência digital ou analógica. A diferença é que as analógicas podem sofrer mais interferência de outros eletrônicos, até mesmo os dos seus vizinhos. Por isso, se você mora em apartamento, os modelos digitais são os mais recomendados.

Além disso, na babá eletrônica digital não é preciso sintonizar os canais como na analógica, isso é feito de forma automática, basta ligar o aparelho e ele já funcionará.

Alcance

Hoje em dia, há modelos que atingem, em média, de 100 a 300 metros de alcance. Mas vale alertar que alguns fatores podem diminuir esse alcance, como a quantidade de paredes e aparelhos que causam interferências em sua casa. Por isso, os fabricantes explicam que o valor máximo do alcance é valido para ambientes abertos.

Principais recursos

Intercom, Talk ou monitor com microfone

É possível, com essa função, se comunicar com o quarto do bebê por um microfone no monitor. Isso é ótimo para acalmar seu filho enquanto você não chega ao quarto ou para falar com outras pessoas que estejam ali.

VOX

O VOX funciona assim: a babá eletrônica fica muda, sem transmitir som e imagem até que haja algum barulho no quarto do bebê. Muitos pais usam essa função na hora de dormir, pois o quarto fica sem o barulho e a luminosidade do aparelho.

Recursos extras

Existem, ainda, babás eletrônicas que vêm com luzes, medidor de temperatura do quarto, mais de uma câmera, etc. Por isso, a escolha da melhor babá eletrônica vai depender do que você acha importante para estar sempre juntinho do seu bebê mesmo de longe.

Categorias
Infantil

Útil: babá eletrônica, como funciona

Com papais e mamães cada vez mais cheios de coisas para fazer, as babás eletrônicas trazem um pouco de tranquilidade, com sonos mais tranquilos e afazeres mas relaxados, pois contam com o monitoramento constante do equipamento. Claro, nada substitui o carinho e cuidado dos pais, mas é possível contar com o auxílio das babás eletrônicas que trazem a cada nova geração maiores recursos no monitoramento à distância das crianças. Encontre aqui detalhes como modelos de babá eletrônica, como funciona alguns deles e quais os recursos disponíveis.

Conheça a babá eletrônica, como funciona e o que oferece

Uma babá eletrônica nada mais é do que um sistema de vigilância à distância de crianças ou adultos que necessitam de cuidados. Basicamente o que elas oferecem é áudio (com ou sem vídeo) em tempo real do que acontece com quem está do outro lado da babá. Cada um recebe um comunicador. O adulto responsável fica com um aparelho e o outro fica no cômodo onde está a criança (ou adulto) que será monitorada. Todo som emitido por quem está sendo monitorado pode ser ouvido por aquele que está com o outro aparelho, mesmo estando à distância.

Modelos existentes

Todas as babás eletrônicas possuem presilhas para que possam ser fixadas no cinto do adulto que vai usá-la. Alguns modelos presentes no mercado permitem aos pais falar com o filho à distância, na maioria delas, só é possível ver e/ou ouvir. As mais avançadas possuem câmera com luz noturna, tela de LCD e conexão digital wireless, outras têm sensor de movimento e até sensor de temperatura. Muitas possibilitam pendurá-las na parede e outras ainda têm presilhas para o berço do bebê. A conexão com a internet permite o monitoramento mesmo estando a longas distâncias.

Um recurso interessante é o VOX. Ele mantém o monitor da babá eletrônica em standby até que seja identificado algum ruído, fazendo com que você receba alertas e notificações de áudio. Esse recurso ajuda a economizar a bateria do aparelho e permite que você consiga descansar melhor na hora do sono.

Sofisticação, beleza ou praticidade

É possível encontrar a babá eletrônica mais adequada para as suas necessidades. Se você quer, além de praticidade, algo que combine com a decoração do quarto da criança, existem modelos nos tons rosa e azul. Para quem deseja ver e ouvir o que acontece no quarto ao lado, existem modelos com telas coloridas e de alta definição e, para quem quer algo mais simples e de preço mais acessível, os modelos estilo walkie-talkie (apenas com áudio) atendem às necessidades a um custo baixo.

Agora que você já está por dentro das vantagens de uma babá eletrônica, como funciona e como escolher, chegou a hora de curtir essa tranquilidade.

Categorias
Infantil

Aprenda a acertar a temperatura para banho de bebê

Uma das preocupações dos pais na hora do banho é deixar a água na temperatura certa para seu filho se sentir confortável, enquanto fica limpinho e cheiroso. Mas como saber medir a temperatura para banho de bebê? Sabemos que existe o método do termômetro, mas vamos ver outros métodos alternativos para quando não se tem um termômetro disponível.

Importância da temperatura para banho de bebê

Os acidentes de queimaduras em bebês acontecem, na maioria das vezes, na hora do banho. Dois fatores contribuem para isso:

– A pele deles é mais sensível;
– A massa corporal é menor que a de uma pessoa adulta.

Dessa forma, a temperatura ideal da água para o banho dos bebês fica entre 36 e 38 graus Celsius. Passando dessa temperatura, seu bebê corre o risco de sofrer queimaduras na pele.

Nos primeiros meses não há necessidade de dar banho todos os dias, principalmente se estiver numa época mais fria ou em dias mais frios. A partir do momento em que eles começam a engatinhar é melhor dar banho todos os dias, sobretudo se estiver numa época quente. Pois o banho ajuda o bebê a se refrescar.

Preparando o banho

Na banheira, coloque primeiro a água fria e, em seguida, vá colocando aos poucos a água quente até ficar morna. Misture bem as duas águas, para que não fiquem pontos de água quente.

Para medir a temperatura você pode utilizar um termômetro específico para banheiras ou através do teste da pele. Esse último seria colocar um pouco da água no pulso ou na parte interna do cotovelo, lugares onde a nossa pele é mais sensível. A água deve estar morna ou entre a temperatura indicada (36 ºC a 38 ºC) para o banho.

Sempre coloque o bebê na água, começando pelos pés. Assim, ele já vai sentir a temperatura da água e, se estiver quente, ele vai chorar. Cuide para não demorar muito no banho, pois a água começa a esfriar. Um indício de que a água já está muito fria é quando os lábios da criança começam a ficar acinzentados. Mas para evitar que isso aconteça, perceba como está a temperatura da água.

Com o tempo fica mais fácil saber qual é a temperatura para banho de bebê ideal. Então, no início use o termômetro para dar mais segurança para você e, se preferir, continue com ele ou troque pela medição pela sua pele.

Categorias
Infantil

Pais de primeira viagem: como dar banho em bebês

A hora do banho é um momento único, um dos meios de fortalecer um laço de amor entre seu filho e você. O bebê merece total proteção, conforto e segurança. O contato é especial e, por isso, os pais de primeira viagem se sentem com dúvidas em relação a esse momento. Confira algumas dicas de como dar banho em bebês!

Banheiro infantil ideal

A dúvida cruel sempre tem relação com a banheira, até porque ela precisa ser segura para o bebê e prática para os pais. Então, antes de comprar o modelo mais bonito, é preciso realmente saber se ela será funcional. Além de ver o tamanho ideal, é preciso saber se ela possui uma parte elevada para que o bebê tenha mais um apoio para não escorregar. Para os primeiros meses de vida, é bacana ter uma cadeirinha redutora de profundidade ou uma redinha, para que o bebê possa ser acomodado.

Banheiras grandes são ótimas, mas exclusivas para espaços maiores. Se o banheiro for pequeno, é possível acomodá-la em outro cômodo, como o quarto. E sempre que possível, coloque-a em cima de um suporte ou cômoda, regulando de acordo com a sua altura, para evitar de carregar peso sem necessidade.

Um modelo que tem feito bastante sucesso são as banheiras com trocadores. Além de práticas, oferecem versatilidade extra, concentrando 2 itens do quartinho do bebê em um só.

Para viagens ou passeios à distância, a banheira infantil dobrável ou inflável é uma ótima opção para os papais. Ela deve ser bem sequinha para evitar fungos.

Temperatura da água

A pele do bebê é bem mais sensível que a nossa, portanto a temperatura que pode ser confortável para você, pode ser muito quente para ele. Por isso, a água deve ser morninha. Para medir a temperatura, basta misturar um pouco de água fria com água quente e sentir a temperatura com seu pulso ou cotovelo, que são as partes mais sensíveis do ser humano.

Depois, acomode-o aos pouquinhos, colocando água sobre a barriguinha e banhando-o delicadamente. Brinque, cante e distraia seu pequeno até que ele se acostume com essa hora deliciosa.

Itens de higiene

Os itens de higiene são básicos, como sabonete e xampu neutro. Bebês não possuem tanta oleosidade no couro cabeludo, por isso o xampu se torna dispensável até certa fase. A quantidade é mínina e apenas para lavar rapidamente a cabecinha. O sabonete também.

Utilize sempre produtos hipoalergênico e específicos para bebês. E, ao lavá-lo, dê atenção para a região da fralda, axilas, pescoço, orelhas, dobrinhas, mãos e pés (incluindo entre os dedos). Para sujeirinhas em volta dos olhos, utilize um algodão umedecido e retire devagar, com delicadeza.

Tenha tudo em mãos para evitar deixar o bebê sozinho enquanto corre para buscar um item que esqueceu. Isso inclui também a roupinha, toalha com capuz, fralda, pomada, escovinha de cabelo e uma toalhinha. Isso irá organizar a sua rotina e terá um momento muito mais tranquilo.

Quantos banhos por dia?

Quando bem pequenos, os bebês não necessitam de banhos diários, só basta caprichar na limpeza das mãos (que eles vivem colocando na boca), do rosto, de suas dobrinhas e genitais, para evitar assaduras e outros problemas. Ah, se for recém-nascido, atenção especial ao umbiguinho, até que ele seque bem e caia o coto. Vale lembrar que a escolha da frequência dos banhos é um item opcional. A melhor dica é consultar o pediatra da criança para tomar a melhor decisão.

Descobrir como dar banho em bebês é uma aventura gostosa. Não perca essa experiência por nada!

Categorias
Infantil

Banho do bebê: saiba como escolher banheira

Para saber como escolher a melhor banheira para o seu bebê, tenha em mente que a maioria dos modelos é feita de plástico e é importante ter uma parte mais alta onde o bebê vai sentar para que ele não deslize. Como logo após o nascimento o bebê ainda não senta, uma opção interessante é comprar um assento redutor e encaixar dentro da banheira para acomodar melhor o bebê e dar uma ajuda à mamãe na hora de dar o banho.

Banheira comum

O modelo de banheira de bebê mais comum encontrado no mercado é aquele sem suporte. Para utilizá-la basta colocar em cima de um lugar firme e seguro como uma cômoda ou bancada do banheiro. Verifique se o local escolhido não escorrega e suporta o peso da água somado ao peso do bebê. Algumas destas banheiras não costumam ter saída para a água, o que dificulta um pouco na hora de esvaziar., porém, existem opções que, mesmo avulsas, dispõe de saída para a água.

Banheira avulsa com suporte separado

Na hora da compra a banheira avulsa, confira se a banheira escolhida encaixa perfeitamente no suporte. A vantagem do suporte é que a banheira fica na altura da cintura da mãe e evita o desconforto na hora de dar banho no bebê. Se houver espaço para colocar a banheira dentro do box facilita para encher e esvaziar. Do contrário, é só deixar no quarto ao lado da cômoda onde vai trocar o bebê.

Banheira com suporte e trocador

Para quem tem espaço disponível esta é uma escolha excelente por ser completa. Esse tipo de banheira já vem com suporte que deixa na altura da cintura da mãe e também com o trocador acoplado. Logo após terminar o banho, é só a mamãe baixar o trocador para trocar o bebê, tem também uma mangueira que facilita esvaziar a água e porta shampoo e sabonete na frente com um lugar específico para pendurar a toalha.

Banheira dobrável

Muito boa opção para ter nos locais onde a criança costuma tomar banhos além da casa dos pais, como a casa dos avós, casa de praia ou viagens de carro. É uma banheira fácil de guardar e transportar. Na hora da compra, verifique o tempo de uso da banheira, porque algumas podem ser usadas por até um ano, mas existem opções que podem ser usada até os quatro anos de idade da criança.

Ofurô para Bebê

O ofurô do bebê é um balde um pouco maior com o assento anatômico, sem rebarbas na parte interna e com o centro de gravidade diferenciado, o que evita o seu tombamento. Este tipo de banho dá um relaxamento ao bebê porque lembra a vida intrauterina. Muitas mamães optam pelo ofurô somente para dar o banho noturno, porque durante o banho de ofurô, o relaxamento é tão profundo que alguns bebês chegam a dormir na água.

Categorias
Auto e Ferramentas Infantil

Veja como fazer um cercado para o seu bebê

Saiba como fazer um cercado para o seu bebê se divertir e brincar em segurança, assim ele não tem contato com objetos perigosos da casa. Basta escolher uma área, e com alguns materiais e um kit de ferramentas simples você cria um cercado bastante seguro. Ideal para a criança brincar e descansar enquanto os pais lavam a louça, limpam a casa e usam o computador, o cercadinho pode ser forrado com uma estrutura macia depois de pronto para que o bebê fique confortável.

Coloque alguns brinquedinhos, um travesseiro e uma coberta e deixe-o brincando ou dormindo para você poder se dedicar a outras tarefas. Confira algumas dicas simples para você criar seu próprio cercado para bebês.

1 – Faça um cômodo inteiro de cercado

Você pode fazer um cômodo inteiro de cercado, como o quarto do bebê, por exemplo. Primeiro prepare o ambiente, retirando qualquer tipo de objeto que possa machucá-lo. Proteja as pontas dos móveis com cantoneiras e coloque protetores nas tomadas abertas, travas de segurança nas gavetas e redes de proteção na janela.

Uma vez que o ambiente está seguro, coloque um portão na porta para que o bebê não consiga passar. Coloque também tapetinhos ou almofadas no chão para ele ficar confortável. Pronto, o bebê está protegido e pode brincar livremente em um cercado gigante.

2 – Use o jardim

O cercado também pode ser na parte externa da casa, como no quintal ou no jardim. Forre o chão com um tapete emborrachado e coloque cercas de arame anexadas em estacas no chão. Instale um portão para bebês na cerca para você ter um acesso fácil e pronto!

3 – Faça um cercado de madeira

Outra opção é fazer um cercado usando madeira. Basta pegar vários painéis de madeira compensada de mais ou menos 3 centímetros x 1 metro. Lixe as madeiras para que fiquem seguras para as crianças e fixe os painéis uns nos outros com dobradiças usando parafusos.

Para finalizar, anexe um portãozinho para você colocar a criança com facilidade no cercado. Agora que você já sabe como fazer um cercado, aproveite as dicas para que o seu bebê possa brincar livremente enquanto você faz outras tarefas na casa.